PARA PENSAR UM DIAGNÓSTICO EMANCIPADOR

Paulo Romaro, Maria Carolina M. Belloque

Resumo


O artigo resgata o debate a respeito da necessidade de se realizar um diagnóstico organizacional utilizando os fundamentos teóricos do diagnóstico emancipador. O diagnóstico emancipador surge da ideia de que os modelos sistêmicos, funcionalistas e instrumentais não qualificam o homem nem o trazem para o centro das questões existentes nas, e entre, as organizações. Em sua tríade dialética o diagnóstico emancipador é proposto como um método em três momentos: o diagnóstico propriamente dito (tese), a crítica ao material escrito (antítese) e a criatividade (síntese). Aspectos práticos a respeito do diagnóstico emancipador também são abordados. O artigo resgatou o autor e professor brasileiro, Ramom Garcia. Pensador de primeira linhagem que faleceu cedo, deixando textos, como o acima citado, de pouco conhecimento do público, mesmo o universitário. Também trouxe ideias de Freud e Paulo Freire que são revolucionárias, utilizando-as na compreensão de teorias de administração e no desenvolvimento das organizações através das pessoas como agentes da mudança e a felicidade humana como objetivo último desta mudança.

Palavras-chave


Diagnóstico Emancipador. Organizações. Desenvolvimento Humano

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Pensamento & Realidade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

e-ISSN: 2237-4418
ISSN Impresso: 1415-5109

Indexado em: