Redes Sociais e Identidade na Construção de uma Cultura da Festa Empreendedora: O Caso da Pilantragi

Maria Amélia Jundurian Corá, Raquel Ventura Soares, Anabel Filardi

Resumo


A festa é parte do cotidiano social das pessoas, neste sentido, compreende-se que as pessoas, por meio das festas, celebram, encontram-se, compartilham, vivem e revivem confraternizações que fazem com que se continuam memorias afetivas e simbólicas que permitem a construção de redes, identidades e vínculos de pertencimento. Nas cidades brasileiras, as festas misturam-se com os espaços de lazer e de sociabilidades, em um tempo marcado sobretudo pelo trabalho. Assim, o objetivo da pesquisa é compreender, a festa Pilantragi, como uma cultura de festa empreendedora constituída por uma identidade voltada à brasilidade e a formação de redes que proporcione aos seus consumidores uma experiência lúdica, de diversão, de resistência cultural. A pesquisa etnográfica realizada entre os anos de 2017 e 2018, foi complementada por duas entrevistas em profundidade com o empreendedor e idealizador da festa Pilantragi, Rodrigo Bento, além do acompanhamento dos perfis nas redes sociais do Rodrigo Bento e da Pilantragi. Como resultados da pesquisa, observou-se a consolidação de uma marca cultural representada por elementos de brasilidade, diversidade e resistência cultural que tornam a identidade de uma cultura de festa bastante empreendedora, além disso, no que tange as redes, observou-se também, a importância das redes constituídas a partir do empreendedor cultural Rodrigo Bento como elemento motriz da festa.


Palavras-chave


festa; identidade; brasilidade; rede social; Pilantragi

Texto completo:

PDF

Referências


CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa; métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3. ed., Porto Alegre: Bookman/Artmed, 2013.

DA MATTA, R.. O que é o Brasil? Rio de Janeiro: Rocco, 2004.

DAVEL, E. P. B.; CORÁ, M. A. J. Empreendedorismo cultural: construindo uma agenda integrada de pesquisa. Anais [...] VIII Encontro de Estudos em Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas - EGEPE, Goiânia, 2014.

_______. Empreendedorismo Cultural: Cultura como Discurso, Criação e Consumo Simbólico. Políticas culturais em revista, v. 9, p. 363-397, 2016.

EIRIZ, V., GUIMARÃES, F. Relacionamento Afetivo com as marcas: Estudo das consequências do amor pela marca dos festivais de Verão. BJM, v. 15, n. 3., p. 432- 443, jul./set, 2016

FALCONI, V. Disponível em: . Acesso em: 7 Set. 2017.

FREUD, S. Totem e Tabu. Rio de Janeiro: Imago, 1974.

FREYRE, G. Modos de homem & modas de mulher. 2. ed. São Paulo: Global, 2009. FORTUNA, C. Identidades, percursos, paisagens culturais. Oeiras: Celta, 1999.

GASPAR, A. Construção de redes de cooperação. Revista Pensamento & Realidade, v. 29, n. 2, 2014, p.138-158.

GARÓFALO, C. Uma semana de lançamentos e ainda Daniela Mercury no festival Pilantragi. Disponível em: . Acesso em: 7 out. 2017.

JOHANNISSON, B. Entrepreneurship as a collective phenomenon. Rent XII, Lyon, France, nov. 1998.

JUNQUEIRA, L. A. P. Organizações sem fins lucrativos e redes sociais na gestão das políticas sociais. In: MAZZEI NOGUEIRA, A. et al. Gestão social, estratégias e parcerias: redescobrindo a essência da administração para o terceiro setor. São Paulo: Saraiva, 2006, v. 1, p. 195-218.

LARRAIA, R. de B.. Cultura: um conceito antropológico. 24 ed. Rio de Janeiro: Zahar. LARSON, A. Network dyads in entrepreneurial settings: a study of the governance of exchange relationships. Administrative Science Quarterly, v. 37, n.1, p.76-104, 1992.

LEÃO, A. L. M. S.; SILVA, C. E. P. S. Cultura, magia e Trocas: uma análise semiótica das propagandas sobre o carnaval de Pernambuco. Amazônia, Organizações e Sustentabilidade, v.5, n. 1, p. 133 - 149, jan./jun. 2016,

MARICONDI, M. A., SOARES, M. L. P. V. Família e Rede Social. In: GUARÁ, I. M. F. R. Redes de proteção social. São Paulo: Associação Fazendo História: NECA – Associação dos Pesquisadores de Núcleos de Estudos e Pesquisas sobre a Criança e ao Adolescente, 2010. MARTINHO, C. Redes: uma introdução às dinâmicas da conectividade e da auto-organização. Brasil: WWF, 2003.

MARTINS, P. H. cultura autoritária e aventura da brasilidade. In: BURITY, J. A (org.). Cultura e Identidade: perspectivas interdisciplinares. Rio de Janeiro: DP&A, 2002 p. 67. MORAES, E. J. A Brasilidade Modernista: sua dimensão filosófica. Rio de Janeiro: Graal, 1978.

ORTIZ, R. Cultura brasileira e identidade nacional. 5. ed. São Paulo: Brasiliense, 2006. SALVADOR, A. B., IKEDA, A. A. Gestão de crise de marca: o uso de informações para prevenção, identificação e gestão. Revista Brasileira de Gestão Negócios. São Paulo, v. 20, n.1,. p. 74 – 91, jan.-mar. 2018

SANICOLA, L. As dinâmica de rede social e o trabalho social. São Paulo: Veras Editora, 2015. SOARES, M. L. P. V. Rede Social no Centro de Recuperação e Educação Nutricional: Uma abordagem Metodológica com Famílias. Programa de Estudos Pós-Graduados em Serviço Social Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2001.

SOUZA, M. D. A Pesquisa tem Mironga. In: M. Bonetti, A. & Fleischer, S. (org.). Entre saias justas e jogos de cintura. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2007, p. 73-92.

SUTTER, M. B.; BARAKAT, S. R.; MASSAINI, S. A.; PORTO, M. C. G.; MARINHO, B. L. Estudo sobre a utilização de atributos da identidade cultural brasileira como fonte de vantagem competitiva no segmento de moda. Revista de Administração em Diálogo. v. 16, n. 1, , p.130- 156, jan./abr. 2014.

TABOSA, T. C. M.; FERNANDES, N. C. M.; PAIVA JR., F. G. O fenômeno empreendedor coletivo e humanizado: a produção e a comercialização do artesanato bonecas solidárias de Gravatá/PE no mercado doméstico. Revista de Negócios, v. 15, n. 3, p. 11-28, 2010. VASCONCELOS, G. M. R.; REZENDE, S. F. L.; GUIMARÃES, L. O.; FACHIN, R. C. Mobilizando relacionamentos e acessando recursos na criação e evolução de novos negócios. Revista Organização & Sociedade, v. 14, n. 41, p. 113-134, 2007. https://www.dicio.com.br/brasilidade/. Acesso em fev. 2018.




DOI: https://doi.org/10.23925/2237-4418.2019v34i1p68-93

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Pensamento & Realidade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

e-ISSN: 2237-4418
ISSN Impresso: 1415-5109

Indexado em: