PLANEJAMENTO E EXECUÇÃO ESTRATÉGICA: AS DIVERGÊNCIAS NO PROCESSO.

Ana Valéria Barbosa da Silva, Francisco Antonio Serralvo, Paulo Romaro

Resumo


O assunto estratégia remete a refletir inicialmente sobre planejar e pode induzir o gestor a se preocupar com diagnósticos, análises, identificação de posicionamentos e a busca pela tão almejada vantagem competitiva sustentável. Essa reflexão necessita também que se designe atenção de maneira simultânea à sua execução com todos os seus desdobramentos e obstáculos. Neste estudo o objetivo foi  identificar os obstáculos que levam estratégias com potencial de sucesso a não atingirem os resultados esperados. E a isso somar assuntos correlatos que merecem atenção para que essa formulação e execução aconteçam de modo eficaz destacando temas como complexidade, modos diversos de se pensar estratégia e papel dos gestores. O tema apresenta uma literatura menos volumosa ao comparar com o tema formulação estratégica. A pesquisa de campo, por meio de um estudo de caso, ocorreu em uma representativa Instituição Financeira Brasileira Governamental onde foram aplicados 1020 questionários com um retorno de 380 respondentes cujos dados foram tratados por meio de análise fatorial exploratória utilizando o programa SPSS. O resultado obtido reforça as conclusões de alguns autores referenciados neste estudo, mas demonstra que a relevância dos fatores encontrados pode ser diferente. O obstáculo referente à comunicação apresentou grande destaque.


Palavras-chave


Estratégia; Planejamento; Execução; Vantagem Competitiva; Resultados.

Texto completo:

PDF

Referências


Ansoff, H. I., & Mcdonnell, E. J.(1988) The new corporate strategy. New Jersey: John Wiley & Sons Inc.

Baptista, M. A. A. (2013) Conselhos de administração e monitoração da

implementação estratégica: um modelo de eficácia. Tese de Doutorado. Pontifícia Universidade Católica (PUC-Rio), Rio de Janeiro.

Bauer, R. (1999) Gestão da mudança. São Paulo: Atlas.

Beer, M., & Eisenstat, R. A. (2000) The silent killers of strategy implementation and learning.

Sloan Management Review, 41 (4), 29-40.

Besanko, D., Dranove, D., Shanley, M., & Schaefer, S. (2018). A Economia da Estratégia-5.

Porto Alegre: Bookman Editora.

Bossidy, L., & Charan, R. (2005) Execução. São Paulo: Elsevier Brasil.

Cândido, Carlos JF & Santos, Sérgio P. (2019) Obstáculos à implementação e estratégia falha

de implementação, Baltic Journal of Management, 14 (1) , 39-57.

Canhada, D. I. D., & Rese, N. (2011) Implementação de estratégias: barreiras e facilitadores evidenciados na Literatura Brasileira Especializada DOI: 10.7444/fsrj. v3i1. 30. Future Studies Research Journal: Trends and Strategies, 3 (1), 38-58.

Cocks, G. (2010) Emerging concepts for implementing strategy. The TQM Journal, 22 (3), 260-266.

Creswell, J. W. (2010) Projeto de pesquisa métodos qualitativo, quantitativo e misto. In: Projeto de pesquisa métodos qualitativo, quantitativo e misto. Porto Alegre: Artmed.

Crittenden, V. L., & Crittenden, W. F. (2008) Building a capable organization: The eight levers of strategy implementation. Business Horizons, 51 (4), 301-309.

Devlin, G. (1989) How to implement a winning strategy. European Management Journal, 7 (3), 377-383.

Dutra, F. A. F. & Erdmann, R. H. (2007) Análise do planejamento e controle da produção sob a ótica da Teoria da Complexidade. Production, 17 (2), 407-419.

Field, A. (2009) Descobrindo a estatística usando o SPSS-2. Porto Alegre: Bookman.

Figueiredo FILHO, D. B. & Silva Júnior, J. A. D. (2010) Visão além do alcance: uma introdução à análise fatorial. Opinião Pública, 16 (1), 160-185.

Freedman, L. (2015) Strategy: a history. Oxford: Oxford University Press.

Fundação Dom Cabral Disponível em: http://www.fdc.org.br/programas/Paginas/Programa.aspx?programa=Estratégia%20e%20Execuçãofinanceiro/DC_Prudencial_1S15_final.pdf. Acesso em: 20 out. 2015.

Galpin, T. J. (2018). Realizing your strategy’s potential: a seven-step model for its effective

execution. Strategy & Leadership, 46 (6), 35-43.

Heide, M., GrØnhaug, K., & Johannessen, S. (2002) Exploring barriers to the successful

implementation of a formulated strategy. Scandinavian Journal of Management, 18 (2), 217-231.

Hrebiniak, L. G. (2006) Obstacles to effective strategy implementation. Organizational

dynamics, 35 (1), 12-31.

Hrebiniak, L. G. (2008). Fazendo a estratégia funcionar. Porto Alegre: Bookman.

Hrebiniak, L. G. (2013). Making strategy work: Leading effective execution and change. FT

Press.

Kaplan, R. S., & Norton, D. P. (2006) Alinhamento: utilizando o Balanced Scorecard para

criar sinergias corporativas. Rio de Janeiro: Campus.

Kich, J. I. D. F., Pereira, M. F., Emmendoerfer, M. L. , & dos Santos, A. M. (2008) A

influência do líder na condução do processo de implementação do planejamento estratégico. Revista de Ciências da Administração, 10 (21) 122-146.

Kim, C., & Mauborgne, R. (2005) A estratégia do Oceano Azul – Como criar novos mercados

e tornar a concorrência irrelevante. Rio de Janeiro: Campus 2005.

Mankins, M. C., & Steele, R. (2005) Turning great strategy into great performance. Harvard

Business Review, 2607.

Mintzberg, H. (2004) Ascensão e queda do planejamento estratégico. Porto Alegre:

Bookman.

Mintzberg, H. (2006). O Processo da Estratégia - 4. Porto Alegre: Bookman.

Mintzberg, H., Ahlstrand, B., & Lampel, J. (2010) Safári da estratégia. Porto Alegre:

Bookman.

Mitchell, D., Larson, S. E., Colantonio, C., & Nguyen, C. (2018). Planning for Change:

Incorporating Contextual Implementation Design into Strategic Planning. State and Local Government Review, 50(2), 110-118.

Nalebuff, B. J., & Brandenburger, A. M. (1996) Co-opetição. Rio de Janeiro: Rocco, 28-35.

Neilson, G. L., Martin, K. L., & Powers, E. (2008) The secrets to successful strategy execution. Harvard Business Review Press, 86, (6), 60.

Porter, M. E. (1996a) Estratégia competitiva: técnicas para análise de indústrias e da concorrência. Rio de Janeiro: Campus.

Porter, M. E. (1996b) Vantagem competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus.

Porter, M. E. (2009) Competição. Edição revista e ampliada. Rio de Janeiro: Editora Campus.

Raffoni, M. (2003) Three keys to effective execution. Harvard Management Update, 8, (2), 1-4.

Ritson, G., Johansen, E., & Osborne, A. (2012) Successful programs wanted: exploring the impact of alignment. Project Management Journal, 43 (1), 21-36.

Rumelt, R. P. (2011) Estratégia boa, estratégia ruim: descubra suas diferenças e importância. Rio de Janeiro: Elsevier.

Slater, S. F., Olson, E. M., & Hult, G. T. M. (2010) Worried about strategy implementation? Don’t overlook marketing's role. Business Horizons, 53, (5), 469-479.

Survey Monkey – Disponível em: https://pt.surveymonkey.com. Acesso: de nov./2015 a maio/2016.

Wernerfelt, B. (1984) A resource-based view of the firm. Strategic management journal, 5 (2), 171-180.

Yin, R. K. (2001) Estudo de caso. Planejamento e métodos. Tradução de Daniel Grassi. 2.ed. Porto Alegre: Bookman.




DOI: https://doi.org/10.23925/2237-4418.2020v35i1p63-82

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Pensamento & Realidade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

e-ISSN: 2237-4418
ISSN Impresso: 1415-5109

Indexado em: