Aspectos sociodemográficos relacionados à agressividade e ao fanatismo em uma torcida de futebol

Vivian de Freitas Bandeira, Denise Gimenez Ramos

Resumo


Esta pesquisa objetivou verificar a correlação entre fanatismo, agressividade e dados sociodemográficos, em torcedores homens, do Sport Club Corinthians Paulista. A pesquisa se faz relevante à medida que os confrontos entre torcedores são frequentes. Para tanto, foram aplicados em 150 torcedores dois questionários: Questionário de Escala de Fanatismo em Torcedores de Futebol e Questionário de Agressividade de Buss-Perry. Os resultados revelaram uma correlação positiva entre fanatismo e as quatros dimensões da agressividade – física, verbal, raiva e hostilidade. As duas últimas foram as mais determinantes para a definição de um alto nível de fanatismo. Os torcedores mais jovens, assim como os com menor nível de instrução, apresentaram maior nível de fanatismo e agressividade, em todas as dimensões. Aqueles com menor renda, tinham maior nível de fanatismo e agressividade hostil e verbal; enquanto que, os solteiros apresentaram maior nível de agressividade hostil. Na perspectiva junguiana, podemos observar que há um rebaixamento do nível da consciência quando os torcedores estão em meio à multidão, o que pode ocasionar uma identificação maior com o time, levando o torcedor a sentir-se como sendo o próprio time. Este, levado por uma identificação inflada, pode cometer atos violentos.


Palavras-chave


Fanatismo; Agressividade; Torcida de Futebol

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/2594-3871.2020v29i1p246-272

Direitos autorais 2020 Psicologia Revista

ISSN Impresso: 1413-4063
ISSN Eletrônico: 2594-3871


Psicologia Revista  está indexada em: