Análise do efeito ansiolítico no comportamento exploratório de Rattus norvegicus albinus no labirinto em cruz elevado

Rita de Cássia Collaço

Resumo


Dentre os principais testes de ansiedade induzida experimentalmente em animais, o labirinto em cruz elevado (LCE) é o mais conhecido e utilizado. O equipamento é feito de madeira, contendo dois braços abertos e dois braços fechados unidos a uma plataforma central. Baseado na aversão natural de roedores a espaços abertos, é possível medir os índices de ansiedade, que compreendem medidas espaço-temporais de esquiva dos braços abertos. Sabendo que os animais permaneceram mais tempo no braço fechado, este trabalho tem por objetivo testar o efeito de medicamentos ansiolíticos no comportamento exploratório, levando em consideração que o aumento da atividade nos braços abertos significa a diminuição da ansiedade. Foram avaliados quatro ratos, destes, dois medicados com Uni Diazepax (4 mg/kg). Houve uma diminuição de 23,95% do tempo de permanência no braço fechado e um aumento de 13,9% do tempo de permanência no braço aberto dos ratos medicados em relação aos não medicados, demonstrando a diminuição da ansiedade após a administração do fármaco.

Palavras-chave


benzodiazepínico; ansiolítico; labirinto em cruz elevado; Diazepam; ansiedade; comportamento exploratório.

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários