Acidentes escorpiônicos notificados pelo SINAN na Região Serrana de Santa Catarina, Brasil, 2000-2010

Rosiléia Marinho de Quadros, Arlindo Rodrigo Varela, Maíra Godinho Cazarin, Sandra Márcia Tietz Marques

Resumo


O objetivo deste estudo é estimar e descrever os casos de acidentes escorpiônicos e as características dos pacientes de doze municípios da Região da Associação dos Municípios da Região Serrana do Estado de Santa Catarina, Brasil, no período de 2000 a 2010. Os dados foram coletados de fichas de notificações do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) no período entre os anos 2000 a 2010, na 27ª Regional de Saúde e determinadas às ocorrências dos acidentes, locais da lesão, sexo do paciente, faixa etária e ocorrência por município. Foram registrados 316 acidentes humanos ocasionados por escorpiões de interesse em saúde pública, com média de 32 acidentes/ano. Constatou-se que os municípios com maior ocorrência de acidentes foram Anita Garibaldi (50%), Lages (27,2%), São José do Cerrito (6%) e Cerro Negro (5,3%), sendo os homens com maior número de casos (56.1%). A região anatômica com maior número de acidentes foi o dedo da mão com 35,7%.  As notificações de acidentes escorpiônicos aumentaram no período avaliado e o maior percentual ocorreu nos últimos quatro anos.

Palavras-chave: escorpiões; lesões; acidentes; humanos; estudo epidemiológico; saúde pública.

 

ABSTRACT

The objective of this study is to describe cases of scorpion envenomation and patient characteristics in 12 municipalities of the mountain region of the state of Santa Catarina, Brazil, between 2000 and 2010. The data were collected from notification records of SINAN – the Notifiable Diseases Information System – and the prevalence of lesions, anatomic site of the sting, patient sex and age, and occurrence in each municipality were determined. A total of 316 individuals were stung by scorpions of species that pose a major public health threat, averaging 32 cases/years. The municipalities with the highest prevalence of cases were Anita Garibaldi (50%), Lages (27.2%), São José do Cerrito (6%) and Cerro Negro (5.3%), and men were the major victims (56.1%). Fingers were the most affected anatomic site (35.7%).  Notifications of scorpion envenomation increased in the analyzed period and the highest rate occurred in the past four years.

Keywords: scorpions; lesions; accidents; humans; epidemiological study; public health.


Palavras-chave


escorpiões; lesões; acidentes; humanos; estudo epidemiológico; saúde pública

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, I. C. S. ET AL. Escorpionismo em Campina Grande – PB. Revista de Biologia e Ciências da Terra, v. 4, n. 1, 2004. Disponível em: http://eduep.uepb.edu.br/rbct/sumarios/resumos/escorpionismoresumo.htm

BRASIL, J. ET AL. Perfil Histórico do Escorpionismo em Americana, São Paulo, Brasil. Hygeia, v.9, n. 17, p. 158-167. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/hygeia

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Manual de controle de escorpiões. Série B. Textos Básicos de Saúde. Brasília. Ministério da Saúde [manual online]. 2009. 74p. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/manual_escorpioes_web.pdf

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Sistema de Informação de Agravos de Notificação – SINAN: normas e rotinas. Série A: Normas e Manuais Técnicos. Brasília: Ministério da Saúde [Manual online]. 2006. [capturado 2013 Mar 12]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/sistema_informacao_agravos_notificacao_sinan.pdf.

BRAZIL, T. K.; PORTO, T. J. Escorpiões. Salvador: Edufba. 2010. Disponível em: http://www.noap.ufba.br/biotabahia/Brazil_Porto_Os_Escorpi%C3%B5es(livro)_2011.pdf.

FRISZON, J. T.; BOCHNER, R. Subnotificação de acidentes por animais peçonhentos registrados pelo Sinan no estado do Rio de Janeiro no período de 2001 a 2005. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 11, n. 1, p. 114-127, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbepid/v11n1/11.pdf.

HORTA, F.M.B. ET AL. Escorpionismo em crianças e adolescentes: aspectos clínicos e epidemiológicos de pacientes hospitalizados. Revista da Sociedade Brasileira de medicina Tropical, v.40, n. 3, p. 351-353, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86822007000300022

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades: censo demográfico. [online]. 2010. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm

JUNKES, C. H. G.; MAZON, L. M. Prevalência de acidentes por Tityus costatus e Loxosceles sp no município de Rio Negrinho/SC e ações profiláticas adotadas pela população. Saúde e Meio Ambiente, v. 2, n. 1, p. 33-43, 2013.

KLEIN, R. F. Identificação e Distribuição Geográfica dos Animais enviados ao Centro de Informações Toxicológicas de Santa Catarina nos anos de 2005 e 2006. [Monografia]. Florianópolis: Centro de Ciências Biológicas, UFSC, 2008.

LOURENÇO, W. R. Scorpions of Brazil. Paris: Les Éditions de I’if [livro online]. 2002. Disponível em: http://isa.peabody.yale.edu/ISA/adverts/scorpBrazil.pdf.

MAESTRINI NETO, A. ET AL. Aspectos do Escorpionismo no Estado do Pará- Brasil. Revista Paraense de Medicina, v. 22, n. 1, p. 49-55, 2008.

NETO, H. F.; PARDAL, P. P. O. Escorpiões e escorpionismo na área metropolitana de Belém e arredores, estado do Pará, Brasil (Chelicerata, Scorpiones). Anais da Academia de Medicina do Pará, v. 7, n. 1, p. 31-35, 1996. Disponível em: http://iah.iec.pa.gov.br/iah/fulltext/pc/artigos/1996/anacadmedpara1996v7n1p31-35.pdf.

PARDAL, P. P. O. ET AL. Aspectos epidemiológicos e clínicos do escorpionismo na região de Santarém, estado do Pará, Brasil. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 36, n. 3, p. 349-353, 2003. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/12908035.

SANTOS, P. L. C. ET AL. Características dos acidentes escorpiônicos em Juiz de Fora – MG. Revista de Atenção Primária à Saúde, v. 13, n. 2, [6 telas], 2010. Disponível em: http://www.aps.ufjf.br/index.php/aps/article/view/447/309.

SINITOX - Sistema Nacional de Informações Tóxico Farmacológicas.Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde. Ministério da Saúde. 2012. Disponível em: http://www.fiocruz.br/sinitox_novo/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid

SILVA, S. T. ET AL. Escorpiões, Aranhas e Serpentes: aspectos gerais e espécies de interesse médico no estado de Alagoas. Maceió: Eufal. [livro online]. 2005. Disponível em: www.usinaciencia.ufal.br/.../Escorpioes_Aranhas_e_Serpentes.pdf/at.../file.

SILVA, R. M. L.; AMORIM, A. M.; BRAZIL, T. K. Envenenamento por Tityus stigmurus (Scorpiones; Buthidae) no Estado da Bahia, Brasil. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 33, n. 3, p. 239-245, 2000. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsbmt/v33n3/2470.pdf.

SOARES, M. R. M.; AZEVEDO, C. S.; MARIA, M. Escorpionismo em Belo Horizonte, MG: um estudo retrospectivo. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 35, n. 4, p. 359-363, 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsbmt/v35n4/a13v35n4.pdf

TORRES, J. B. ET AL. Acidente por Tityus serrulatus e suas implicações epidemiológicas no Rio Grande do Sul. Revista de Saúde Pública, v. 36, n. 5, p. 631-633, 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v36n5/13154.pdf.