Variabilidade da germinação e caracteres de frutos e sementes entre matrizes de Sideroxylon obtusifolium (Roem. & Schult.) T.D. Penn

Kelina Bernardo Silva, Edna Ursulino Alves, Arnaldo Nonato Pereira de Oliveira, Paulo Alexandre Fernandes Rodrigues, Nelto Almeida de Sousa, Vaniclécia Alves de Aguiar

Resumo


Essa pesquisa teve como objetivo estudar a variabilidade da germinação e caracteres biométricos e da qualidade fisiológica de sementes entre matrizes de quixabeira [Sideroxylon obtusifolium (Roem. & Schult.) T.D. Penn.]. Foram selecionadas 31 árvores matrizes de S. obtusifolium localizadas em remanescentes florestais dos municípios de Sertânia e Custódia no Estado de Pernambuco e nos municípios de Boa Vista e Campina Grande no Estado da Paraíba. Foram avaliadas as seguintes características: Biometria de frutos e sementes, porcentagem de emergência (%E), índice de velocidade de emergência (IVE), comprimento (cm) e massa seca (g) de plântulas e condutividade elétrica (CE). De acordo com os resultados obtidos, concluiu-se que: há grande variabilidade entre as árvores matrizes de S. obtusifolium quanto aos caracteres biométricos de frutos,sementes e processo germinativo; O teste de condutividade, conduzido a 25 ºC por períodos de 6 a 30 horas de embebição em 75 mL de água destilada, não foi eficiente para discriminar as sementes oriundas de diferentes matrizes quanto à qualidade fisiológica das sementes; As variações nos valores observados podem resultar da combinação de uma série de fatores, entre eles, aqueles relacionados com a variabilidade genética e fecundidade da população, portanto para verificar a superioridade das matrizes, é necessário um teste de progênies.

Palavras-chave: vigor de sementes; condutividade elétrica; semente florestal.

ABSTRACT

This research aimed to study the variability of germination and biometric characters and physiological seed quality between arrays quixabeira [Sideroxylon obtusifolium ( Roem. & Schult .) T.D. Penn.]. 31 mother trees of S. obtusifolium forest remnants located in the municipalities of Sertânia and Custodia in the State of Pernambuco and in the municipalities of Boa Vista and Campina Grande in Paraiba were selected. Biometrics of fruits and seeds, emergence percentage (%E), emergence rate index (EVI), length (cm) and dry weight (g) of seedlings and electrical conductivity (EC): The following characteristics were evaluated. According to the results, it was concluded that: there is great variability between arrays trees S. obtusifolium as biometric characters of fruits, seeds and germination; This test was conducted at 25 °C for periods 6-30 hours of soaking in 75 mL of distilled water, was not useful for distinguishing seeds from different matrices for the physiological seed quality; variations in the observed values ​​may result from the combination of a number of factors, including those related to genetic variability and fecundity of the population, so in order to verify the superiority of mothers, progeny trial is necessary.

Keywords: seed vigor; electrical conductivity; forest seed.

Palavras-chave


vigor de sementes; condutividade elétrica; semente florestal

Texto completo:

PDF

Referências


ABDO, M.T.V.N. Germinação, armazenamento e qualidade fisiológica de sementes de capixingui (Croton floribundus Spreng.)- Euphorbiaceae. 2005. 57f. Dissertação (Mestrado em Agronomia)-Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista, Jaboticabal, 2005.

ALVES, E.U.; BRUNO, R.L.A.; OLIVEIRA, A.P.; ALVES, A.U.; ALVES, A.U.; PAULA, R.C. Influência do tamanho e da procedência de sementes de Mimosa caesalpiniifolia Benth. sobre a germinação e vigor. Revista Árvore, Viçosa, v.29, n.6, p.877-885, 2005.

ARRIEL, E.F.; PAULA, R.C.; BAKKE, O.A.; SANTOS, D.R.; ARRIEL, N.H.C. Divergência genética entre matrizes de faveleira usando caracteres biométricos de frutos e sementes. Caatinga, Mossoró, v.18, n.4, p.219-225, 2005.

ASSOCIATION OF OFFICIAL SEED ANALYSTS. Seed vigor testing handbook. East Lasing: AOSA, 1983. 93p. (Contribution, 32).

BONNER, F.T. Testing tree seeds for vigor: a review. Seed Technology, Amsterdam, v.20, n.1, p.5-17, 1998.

BORGES, E.E.L.; RENA, A.B. Germinação de semente. In: AGUIAR, I.B.; PIÑA -RODRIGUES, F.C.M.; FIGLIOLIA, M.B. (Coord). Sementes florestais tropicais. Brasília: ABRATES,1993. p.83-136.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Biologia floral e reprodutiva da quixabeira. Petrolina: Embrapa Semi-árido, 2008. 11p.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Brasília: MAPA/ACS, 2009. 399p.

CARAVALHO, J.E.U.; NAZARÉ, R.F.R.; OLIVEIRA, W.M. Características físicas e físico-químicas de um tipo de bacuri (Platonia insignis Mart.) com rendimento industrial superior. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v.25, n.2, p.326-328, 2003.

CARVALHO, N.M.; NAKAGAWA, J. Sementes: ciência tecnologia e produção. 4.ed. Jaboticabal: FUNEP, 2000. 588p.

DAVIDE, A.C.; FERREIRA, R.A.; FARIA, J.M.R.; BOTELHO, S.A. Restauração de matas ciliares. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v.21, n.207, p.65-74, 2000.

DIAS, D.C.F.S.; MARCOS FILHO, J. Testes de vigor baseados na permeabilidade das membranas celulares. I. Condutividade elétrica. Informativo Abrates, Londrina, v.5, n.1, p.26-36, 1995.

GONZALES, J.L.S. Variabilidade da germinação e caracteres de Sementes entre matrizes de farinha-seca [Albizia hassleri (Chod.) Burkart.]-Fabaceae. 2007. 54f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista, Jaboticabal, 2005.

GOUVEIA, A. Café clonal. Disponível em: . Acesso em 15 de março de 2011.

HAIG, D.; WESTOBY, M. Seed size, pollination casts and angiosperm success. Evolutionary Ecology, London, v.5, n.2, p.231-247, 1991.

HAMPTON, H.G.; TEKRONY, D.M. Handbook of vigour test methods. 3.ed. Zürich: ISTA, 1995. 117p.

KAGEYAMA, P.Y.; GANDARA, F.B.; OLIVEIRA, R.E. Biodiversidade e restauração da floresta tropical. In: KAGEYAMA, P.Y.; OLIVEIRA, R.E.; MORAES, L.F.D.; ENGEL, V.F.; GANDARA, F.B. ( Org.). Restauração ecológica de ecossistemas naturais. Botucatu: FEPAF, 2003. p.29-46.

LMRS/PB. Laboratório de Meteorologia, Recursos Hídricos e Sensoriamento Remoto da Paraíba. Capina Grande, 2007.

LOEFFLER, T.M.; TEKRONY, D.M.; EGLI, D.B. The bulk conductivity test as an indicator of soybean seed quality. Journal of Seed Tecnology, Lincoln, v.12, n.1, p.37-53, 1988.

LOEFFLER, T.M. The bulk conductivity test as an indicator of soybean seed quality. 1981. 181f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - University of Kentucky, Leington, 1981.

MARCOS FILHO, J. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. Piracicaba: FEALQ, 2005. 495p.

MARCOS FILHO, J. Testes de vigor: importância e utilização. In: KRZYZANOWSKI, F.C.; VIEIRA, R.D.; FRANÇA NETO, J.B. (Ed.). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES, 1999. p.1.1-1.21.

MATHEUS, M.T.; LOPES, J.C. Morfologia de frutos, sementes e plântulas e germinação de sementes de Erythrina variegata L. Revista Brasileira de Sementes, Pelotas, v.29, n.3, p.8-17, 2007.

MELO, J.T.; SILVA, J.A.; TORRES, R.A.A.; SILVEIRA, C.E.S.; CALDAS, L.S. Coleta, propagação e desenvolvimento inicial de espécies do Cerrado. In: SANO, S.M.; ALMEIDA, S.P. (Org.). Cerrado: ambiente e flora. 1ed. Brasília: EMBRAPA/CPAC, 1998, v.1, p.193-243.

MINISTÉRIO DAS MINAS E ENERGIA. Secretaria de geologia, mineração e transformação mineral. Recife, 2005. Disponível em: . Acesso em: fevereiro de 2011.

OLIVEIRA, E.C. Morfologia de plântulas florestais. In: AGUIAR, I.B.; PIÑA-RODRIGUES, F.C.M.; FIGLIOLIA, M.B. (Coord.). Sementes florestais tropicais. Brasília: ABRATES, 1993. p.137-174.

PAULA. R.C. Repetibilidade e divergência genética entre matrizes de Pterogyne nitens Tul. (Fabaceae-Caesalpinioideae) por caracteres biométricos de frutos e de sementes e parâmetros da qualidade fisiológica de sementes. 2007. 128f. Tese (Livre - Docência em Silvicultura) -Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho”, Jaboticabal, 2007.

PIÑA-RODRIGUES, F.C.M.; JESUS, R.M. Comportamento das sementes de cedro-rosa (Cedrela angustifolia S. Et. Moc) durante o armazenamento. Revista Brasileira de Sementes, Brasília, v.14, n.1, p.31-36, 1992.

POGGIANI, F.; BRUNI, S.; BARBOS, E.S.Q. Efeito do sombreamento sobre o crescimento das mudas de três espécies florestais. In: CONGRESSO NACIONAL SOBRE ESSÊNCIAS NATIVAS, 2., 1992. Anais... São Paulo: Instituto Florestal, 1992. p.564-569.

POPINIGIS, F. Fisiologia da semente. Brasília: AGIPLAN, 1985. 289p.

POWELL, A.A. Cell membranes and seed leachate conductivity in relation to the quality of seed for sowing. Journal Seed Technology, Springfield, v.10, n.2, p.81-100, 1986.

SILVA, F.F.S. Qualidade de sementes e produção de mudas de Sideroxylon obtusifolium (SAPOTACEAE) de duas procedências. 2010. 120f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Universidade Federal da Paraíba, Areia, 2010.

TESSER, S.M. Teste de condutividade elétrica para discriminação de lotes de sementes de três espécies arbóreas do gênero Solanum. 2005. 49f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) -

Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista, Jaboticabal, 2005.

VIEIRA, R.D.; KRZYZANOWSKI, F.C. Teste de condutividade elétrica. In: KRZYZANOWSKI, F.C.; VIEIRA, R.D.; FRANÇA-NETO, J.B. (Ed.). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES, 1999. Cap.3, p.1 -24.