Efeito de barramento sob aspectos morfométricos do Córrego Porteira (Aquidauana, MS) e sua relação com parâmetros físico-químicos da água

Israel Luz Cardoso, Marcos Paulo Gonçalves de Rezende, Bruno Alves Faustino Paiva, Geovane Gonçalves Ramires

Resumo


Objetivou-se analisar o efeito de barragem sob aspectos morfométricos do Córrego Porteira (Aquidauana, MS) e sua relação com parâmetros físico-químicos da água. Por meio de eletrométrico e trena graduada, analisou em 6 pontos do córrego, descrevendo as características de sua encosta. Foram amostrados com distanciamento de 50 metros, três pontos antes de barragem (tratamento 1) e três após a barragem (tratamento 2). Em ambos os tratamentos não se verificou flora aquática. A densidade de flora ciliar foi maior no tratamento 2, com concentrações de gramíneas (Brachiaria sp). No geral apenas a temperatura da água apresentou diferença significativa (p<0,05). Verificou-se tendência de superioridade do valor de pH e temperatura do ar e inferioridade do oxigênio dissolvido, profundidade e temperatura da água nos pontos localizados após a barragem. Quanto à condutividade elétrica, largura de barranco e transparência da água houve semelhança entre os tratamentos. O tratamento 1 apresentou altura de barranco inferior a tratamento 2, sendo tal diferença de 96±67,88 cm (p<0,05). Conclui-se que os pontos antes e após a barragem apresentaram valores similares para as variáveis analisadas, exceto para temperatura de água e profundidade do córrego.

Palavras-chave: ações antrópicas; ambiente lótico; caracterização; limnologia.

Palavras-chave


ações antrópicas; ambiente lótico; caracterização; limnologia

Texto completo:

PDF

Referências


AGOSTINHO, A.A., THOMAZ, S.M.; GOMES, L.C., Conservação da biodiversidade em águas continentais do Brasil. Megadiversidade, 1(1): 70-78, 2005.

BLEICH, M.E.; SILVA, C.J.; ROSSETE, A.N., Variação temporal e espacial das características limnológicas de um ecossistema lótico no Cerrado do Mato Grosso. Biotemas, 22 (2): 161-171, 2009.

COLE, G. A., Textbook of Limnology. 4 ed. Illinois: Waveland Press. 1994.

CONAMA. Livro das Resoluções do Conselho Nacional do Meio Ambiente-CONAMA. 1ª ed. Brasília: MMA, 808p. 2005.

CRISTOFOLETTI, A., Geomorfologia Fluvial. Sãom Paulo: E.Blucher. 1981.

CRUZ, H. C.; FABRIZY, N. L. P. Impactos ambientais de reservatórios e perspectivas de uso múltiplo. Revista Brasileira de Energia, v. 4, n. 1, 1995.

DODSON, S. I., Introduction to limnology. 1 ed. McGraw Hill: New York. 2005.

ESTEVES, F. A. Fundamentos de limnologia. 2ª ed. Rio de Janeiro: Interciência, 1998a. 602p.

ESTEVES, F.A. Fundamentos de Limnologia. 2 ed., Interciência/FINEP, 575p. 1998.

ESPINDOLA, E.L.G. et al., A Bacia Hidrográfica do Rio Monjolinho: Uma Abordagem Ecossistêmica e a Visão Interdisciplinar. São Carlos. Ed. Rima.187p. 2000.

FAGUNDES, R. C.; SHIMIZU, G. Y., Avaliação da qualidade da água do Rio Sorocaba–SP, através da comunidade bentônica. Revista Brasileira de Ecologia, 1: 63-66. 1997.

GRADELLA, F.S.; SILVA NETO, J.C.A.; ECHEVERRIA, J.L.; LEITE, E.F.; SILVA, G.; GENTIL, R.H.P. Análise preliminar dos elementos químicos e físicos da água da bacia hidrográfica do córrego João Dias, Aquidauana, MS. Anais 1º Simpósio de Geotecnologias no Pantanal, Campo Grande, Brasil, 11-15 novembro 2006, Embrapa Informática Agropecuária/INPE, p.96-105.

KIRK, J.T.O., Optical limnological. In: DECKKER, P. & WILLIANS, W.F. eds. Limnology in Austria, Dordrecht; Dr. Junk Publishers. p.33-62. 1986.

LOWE-McCONNEL, R. H., Fish communities in tropical freshwater: their distribution, ecology and evolution. London, Longman, 337 p. 1975.

MAIER, M. H., Considerações sobre características limnológicas de ambientes lóticos. Boletim do Instituto de Pesca, 5 (2): 75-90. 1978.

MARGALEF, R., Limnología. Omega, Barcelona, Espanha, 1009pp. 1983.

MEDAUAR, Odete (org.) – Constituição Federal Coletânea de Legislação de Direito Ambiental. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais. 2004.

MÜLLER, F., Gradients in ecological systems. Ecological Modelling, 108: 3–21. 1998.

PEREZ FILHO, A.; SOARES, P. R. de B.; ESPINDOLA, C. R. Processos erosivos e reativação de canais de drenagem no planalto ocidental paulista. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE GEOGRAFIA FÍSICA APLICADA, 9, 2001, Recife. Anais... Recife: Universidade Federal de Pernambuco, 2001. v.1. p.84-85.2001.

PIANKA, E. R., Evolutionary Ecology. Harper Collins Coll. Publ., 486 p. 1994.

REZENDE, M. P. G. ; CARDOSO, I. L. ; ALVES, B. P. F. ; RIBEIRO, H. B. ; PEREIRA, R. H. G. . Inventário da riqueza de ictiofauna da Lagoa Comprida, Aquidauana/MS. Revista Pantaneira, v. 14, p. 38-43, 2012.

SPERLING, E. V., Qualidade da água em atividades de mineração. In: Dias, L. E. & Mello, J. W. V. (Eds). Recuperação de áreas degradadas. Sociedade Brasileira de Áreas Degradadas, Viçosa, Brasil, p.95-105. 1998.

STERZ, C., ROZA-GOMES, M. F., & ROSSI, E. M.. Análise microbiológica e avaliação de macroinvertebrados bentônicos como bioindicadores da qualidade da água do Riacho Capivara, Município de Mondaí/SC. Unoesc & Ciência-ACBS, 2(1), 7-16. 2011.