Análise do Efeito da Metformina da Morfologia da Placenta de Ratas Wistar, com e sem Diabetes Mellitus, Induzidas por Aloxana

Gabriela Virginia Moreira, Ticiana Volpato Oliveira, Magali Zampieri, Mercia Tancredo Toledo

Resumo


Diabetes Mellitus é uma doença associada a um defeito na secreção e/ou na ação da insulina. Um dos tipos de diabetes que pode ser desenvolvido é o Diabetes Melitus Gestacional (DMG), a qual é causada por uma mudança no metabolismo corpóreo da mulher, associado a um aumento dos níveis hormonais. A placenta é um órgão vital para o crescimento e desenvolvimento fetal e mudanças estruturais ou funcionais podem acarretar complicações no desenvolvimento fetal. A metformina é uma das drogas que recentemente está sendo indicada para mulheres com predisposição ao desenvolvimento do DMG, pois diminui a resistência periférica á insulina, sem aumentar a secreção de insulina pelas células beta. O presente estudo avaliou as possíveis alterações morfológicas e morfométricas dos tecidos placentários de ratas prênhes induzidas ao Diabetes Mellitus por aloxana e tratadas com metformina durante a prenhez. Os animais foram divididos em 3 grupos experimentais: Controle (C), Diabéticas (D) e Metformina (M). Os dados revelaram que ratas normais quando tratadas com metformina (M) apresentam um ganho de peso menor durante a prenhez quando comparadas com o ganho de peso do grupo controle (C). O grupo diabéticos também apresentou menor ganho de peso, justificado pelo grau de gravidade do diabetes. A análise comparativa do peso fetal e placentário dos controle (C) e tratados com metformina (M) demonstra que os fetos e placentas de ratas (M) apresentaram um peso maior do que fetos/placentas de ratas (C). Na análise morfométrica das placentas dos diferentes grupos experimentais observamos que nos grupos diabéticos houve diminuição da espessura da decídua basalis, aumento da espessura do espongiotrofoblasto e da região labiríntica. Nos animais controles tratados com metformina a decídua não apresentou alterações na espessura, porém o espongiotrofoblasto e a região labiríntica apresentaram-se compactada. Podemos concluir que o tratamento de ratas controles com metformina durante a prenhez pode comprometer os mecanismos de troca materno-fetal promovidas por alterações do tecido placentário.

Palavras-chave


: Diabetes Mellitus, metfomina, aloxana, alterações placentárias

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo