Climatério, enfrentamento e repercussões no contexto de trabalho: vozes do Extremo Norte do Brasil

Autores

  • Idonézia Collodel Benetti Saúde Coletiva. Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC.
  • Lia da Silva Sales Psicologia, Universidade Federal de Roraima, UFRR.
  • Ana Paula da Rosa Deon Psicologia, Universidade Federal de Roraima, UFRR.
  • Fernanda Ax Wilhelm Departamento de Psicologia, Universidade Federal de Roraima, UFRR.
  • João Paulo Roberti Junior Psicologia, Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC.

DOI:

https://doi.org/10.23925/2176-901X.2019v22i1p123-146

Palavras-chave:

Menopausa, Comportamento, Trabalho.

Resumo

Esta pesquisa tem por objetivo investigar as consequências do climatério no comportamento da mulher no seu lócus laboral. É um trabalho ancorado no método de levantamento de dados e caracteriza-se por ser de natureza descritiva e exploratória. As informações foram categorizadas, pré-codificadas e organizadas qualitativamente, com base na análise de conteúdo proposta por Bardin. Os sujeitos do estudo foram 15 mulheres entre 40 e 60 ou mais anos, profissionais da saúde em uma unidade de saúde da família, em uma cidade do Extremo Norte do Brasil. Dentre as estratégias de enfrentamento utilizadas estão: as atividades físicas (caminhadas na praça, passeio de bicicleta), hábitos alimentares adequados (produtos naturais, tais como soja, linhaça, alimentação sem gordura, pouco sal), religiosidade (Deus, Bíblia, orações, ir à igreja) e a busca por assistência médica (visitas ao ginecologista e a procura pelo serviço médico na unidade de saúde). Observou-se que o climatério é um período importante, porém nem sempre compreendido e atendido de maneira adequada, e que essa fase ainda é vista como um período negativo, que pode alterar a vida conjugal e familiar.

 

Biografia do Autor

Idonézia Collodel Benetti, Saúde Coletiva. Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC.

Doutoranda em Saúde Coletiva na Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC.

 

Lia da Silva Sales, Psicologia, Universidade Federal de Roraima, UFRR.

Acadêmica de Psicologia, Universidade Federal de Roraima, UFRR.

 

Ana Paula da Rosa Deon, Psicologia, Universidade Federal de Roraima, UFRR.

Professora do Departamento de Psicologia, Universidade Federal de Roraima, UFRR.

 

Fernanda Ax Wilhelm, Departamento de Psicologia, Universidade Federal de Roraima, UFRR.

Professora do Departamento de Psicologia, Universidade Federal de Roraima, UFRR.

 

João Paulo Roberti Junior, Psicologia, Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC.

Doutorando em Psicologia, Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC.

 

Downloads

Publicado

2019-03-30

Edição

Seção

Artigos