Duas personagens e o confronto do eu com o outro

Nilza de Campos Becker

Resumo


A contística de Machado de Assis, assim como a de Edgard Allan Poe, apresentam muitos pontos convergentes, no que tange à organização estrutural e à exploração de temas. Neste trabalho, é estabelecido um paralelo entre os contos “O Espelho”, do escritor brasileiro, e “William Wilson”, do americano, visto que ambos os autores partem da mesma temática: a presença do espelho e a do duplo. Verificaremos de que forma a constatação do sinal de alteridade e a instauração de uma outra voz interferem na construção das personagens. Procuraremos também decifrar o que se acha camuflado sob o signo do espelho. O mito do duplo, revisitado nos dois contos, além de levantar questões identitárias, tais como a fragmentação do eu, o confronto do eu com o outro, ratifica a confluência da obra de Machado de Assis com a de Edgard Allan Poe.

Palavras-chave
Machado de Assis; Edgard Allan Poe; Alteridade; Duplo; Espelho.

Abstract
The tales of Machado de Assis, as well as those of Edgard Allan Poe, present many convergent points, concerning the structural organization and the subject exploration. In this article, it is established a parallel between the tales “The Mirror”, from the Brazilian writer and “William Wilson” from the American, because both authors depart from the same subject: the mirror and the double presence. It will be verified how the evidence of the alterity sign and the establishment of another voice interfere in the characters’ composition. It will be deciphered what is camouflaged under the mirror’s sign. The myth of the double revisited in both tales, besides presenting identity questions, as the self fragmentation, the confrontation between the self and the other, it confirms the confluence of Machado de Assis’ work with that of Edgar Allan Poe.

Keywords
Machado de Assis; Edgard Allan Poe; Alterity; Double; Mirror.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.