Histórico do periódico

A revista Lutas Sociais, produzida pelo Núcleo de Estudos de Ideologias e Lutas Sociais (NEILS), vinculado ao Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, foi criada em novembro de 1996.  Suas publicações aparecem regularmente a cada ano nos meses de junho e dezembro, e se voltam para o debate sobre questões relevantes das Ciências Sociais, especialmente em Sociologia, Ciência Política, Relações Internacionais e afins. Esforça-se para assegurar perspectivas pluridisciplinares sem perder o rigor científico. Adota parâmetros de atuação que visam concretizar seu caráter crítico e plural.

Dirige-se a um público acadêmico, tem inserção junto a estudantes e professore(a)s de graduação e de pós-graduação, além de ser lida por integrantes de movimentos sociais. Mantém permuta com vários periódicos nacionais e estrangeiros e é procurada por bibliotecas latino-americanas, estadunidenses e europeias. Com óbvio destaque para o Brasil, são estas as regiões de onde provêm os textos publicados pela revista.

Lutas Sociais é produto da insatisfação com debates que, em sua aparente radicalidade, se restringem, dentro e fora dos círculos acadêmicos, a opções que não questionam, mas, ao contrário, mistificam a ordem estabelecida. Diferencia produção científica da simples reiteração ideológica do existente e recusa-se a naturalizar as relações sociais.

 

Inovação editorial

Até o n. 29, de jul./dez. de 2012, as referências bibliográficas de Lutas Sociais incluíam apenas os números. A partir da edição de jan./jun. de 2013 a revista passou a adotar volume e número: vol. 17, n. 30. Esta inovação editorial se deve à quantidade de artigos que a revista recebe para avaliação e abre caminho, quando necessário e possível, para publicar um número especial (exclusivamente eletrônico), o que implica a indicação de volume.