Cambiemos: o fim da dominação pelo exercício da hegemonia em Argentina

Francisco J. Cantamuto

Resumo


Argentina foi incluído como parte da chamada “viradada à esquerda”da América Latina durante as administrações do kirchnerismo (2003-2015). O artigo argumenta que esse processo foi guiado pela construção de hegemonia por uma fração do bloco no poder, que atendeu algumas exigências populares.
A lógica populista marcou a forma deste processo, que levou à intensificação desde 2008 do antagonismo con as fracções deslocadas do bloco no poder, permitindo a consolidação de uma identidade kirchnerista. Ao mesmo tempo, isto permitiu que a aliança estratégica da oposição heterogênea, que foi capaz de vencer as eleições com um discurso de demagogia. O novo governo de Cambiemos (“Mudemos”) representa outra fração do bloco no poder, menos disposto a incorrer em despesas de legitimação, promovendo assim uma forma de dominação com menos mediaçoes, mais direta.


Palavras-chave


Argentina; kirchnerismo; hegemonia; bloco no poder.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Lutas Sociais
Revista do Núcleo de Estudos de Ideologias e Lutas Sociais (NEILS)
Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências Sociais – PUC/SP
Ministro Godói, 969 - 4º andar – Perdizes
CEP: 05015-001 - São Paulo - SP - Brasil
Fone/Fax: (+55 11) 3670-8517

Lutas Sociais está indexada em: