Habitus, planejamento e governança urbana

Nilton Ricoy Torres

Resumo


Este artigo é organizado em duas seções. A primeira avalia as teses avançadas por Bourdieu, formuladas a partir de sua teoria estrutural construtivista. São analisados os conceitos de habitus, de "campo" e o da "dinâmica das lutas pelo poder e dominação". O objetivo é avaliar em qual medida as proposições de Bourdieu ajudam a entender a prática de planejamento urbano no Brasil. Na segunda parte são discutidas seis hipóteses elaboradas em torno dos conceitos de habitus e campo social, de Pierre Bourdieu, que explicam a relação dialética entre o agente e a estrutura. A discussão é realizada tomando como referência a história da prática de planejamento brasileira e, em particular,a de São Paulo. Os conceitos de habitus e de campo são abordados em detalhes e articulados aos conceitos de relações de poder, dominação e ao de lutas de classes, que são de especial importância para a compreensão dos processos de mudança da estrutura social. O trabalho procura esboçar um esquema que possa servir de referência para pensar a prática de planejamento como um campo de posições e de lutas entre forças que buscam a conservação e forças que buscam a transformação social.

Palavras-chave


habitus; campo social; planejamento; governança urbana; poder

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.1590/14783

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Apoio: