O TRABALHO ATÍPICO E A INSTABILIDADE PROFISSIONAL NA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA: UMA ANÁLISE NO SETOR DE PROCESSOS INDUSTRIAIS DA MONTADORA ALFA

Pedro Luiz Maitan Filho, Janaina Machado Simões

Resumo


As transformações nos vínculos trabalhistas têm sido abordadas na literatura da Administração como um fenômeno relacionado à flexibilidade industrial implantada pelas montadoras nas últimas décadas. Assim, as modalidades de contratações menos estáveis e a desregulamentação do trabalho nas fábricas modernas têm ocupado um espaço cada vez maior nos estudos organizacionais. Tendo isso em vista, este artigo tem por objetivo analisar as configurações de vínculos trabalhistas no setor de processos industriais da montadora ALFA. O estudo foi realizado a partir de uma perspectiva qualitativa, com entrevistas semiestruturadas feitas com engenheiros de processo na unidade do Grupo no Brasil. Os resultados da pesquisa de campo mostraram que características da precarização do trabalho sobressaem-se na região onde a montadora está instalada. O aumento das terceirizações e dos contratos temporários nos últimos cinco anos – além de uma baixa participação sindical – tem acentuado o temor dos engenheiros quanto à instabilidade da organização e o permanente receio de novas demissões sem datas programadas.

Palavras-chave


trabalho atípico; instabilidade; indústria automobilística

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Pensamento & Realidade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

e-ISSN: 2237-4418
ISSN Impresso: 1415-5109

Indexado em: