Racionalidade, Terceiro Setor o debate da Corrupção em “ quanto vale ou é por quilo? ”

Fabiana Pinto de Almeida Bizarria, Ana Rita Rogério Maia Nogueira, Flávia Lorenne Sampaio Barbosa, Antônia Márcia Rodrigues Sousa

Resumo


O artigo discute a gestão no terceiro setor sob a ótica capitalista, bem como busca a gênese da corrupção, com base na lógica da razão instrumental (RAMOS, 1981). A pesquisa possui duas etapas metodológicas: a composição de um ensaio, para definição do modelo de análise e, uma análise fílmica, tendo como campo de estudo o filme “quanto vale ou é por quilo?”, drama brasileiro lançado em 2005, dirigido por Sérgio Biachi. O filme demonstra como é problemática a centralidade do mercado como lógica operativa da vida, em função da razão instrumental. Para tanto, o enredo oferece elementos de análise que, conjugados, exemplificam como o social, sendo processado como mercado, pode refletir em problemas sociais estruturantes da realidade brasileira, no caso, a corrupção e a criminalidade. Assim, se conduz a um argumento propositivo, a da gestão participativa, numa lógica substantiva, como possibilidade de superação da corrupção que assola o setor.

Palavras-chave


Razão Instrumental. Capitalismo. Corrupção. Gestão Participativa. Participação Cidadã.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Pensamento & Realidade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

e-ISSN: 2237-4418
ISSN Impresso: 1415-5109

Indexado em: