AS POTENCIALIDADES E OS LIMITES PRESENTES NA ECONOMIA CRIATIVA DE PERNAMBUCO NO PERÍODO DE 2013 - 2016

Maria Christianni Coutinho Marçal, Joina Ijuniclair Arruda Silva dos Santos

Resumo


A esfera cultural contemporânea que produz e distribui filmes, programas de televisão, música, turismo, gastronomia, games entre outros, desmaterializa as fontes de riqueza e incute grande protagonismo aos setores culturais e criativos instituindo as trocas por meio do que hoje se denomina “economia criativa”. O artigo teve como objetivo compreender as potencialidades e os limites presentes na Economia Criativa (EC) de Pernambuco no período de 2013 – 2016.  Frente ao objetivo exposto, foram acompanhadas e analisadas, por meio de análise de conteúdo, as ações dos grupos sociais envolvidos no campo temático da EC - tanto no âmbito público quanto no privado - divulgadas na internet, durante o período em questão. Concluímos que como política pública, a Economia Criativa não conseguiu se sustentar e conta apenas com investimentos de empreendedores sociais e culturais da iniciativa privada para se desenvolver, pois, os governos - tanto em nível estadual quanto em nível nacional - diminuíram de forma considerada os investimentos nos setores da EC no citado período e perderam representatividade política quando a secretaria da economia criativa foi destituída.


Palavras-chave


economia criativa – cultura – empreendedorismo – Pernambuco

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Pensamento & Realidade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

e-ISSN: 2237-4418
ISSN Impresso: 1415-5109

Indexado em: