OS PRIMEIROS ESTUDOS EM MARKETING: A CLASSIFICAÇÃO DOS FENOMÊNOS DE DISTRIBUIÇÃO COMO FORMA DE REPLICAR AS CIÊNCIAS DA ÉPOCA, E CONTRIBUIR COM O PROCESSO DE INSTITUCIONALIZAÇÃO DO MARKETING NO INÍCIO DO SÉCULO XX

Sérgio Luis Ignácio Oliveira

Resumo


Os primeiros estudos em Marketing tiveram, como marco inicial, a primeira década do século passado em universidades norte-americanas. Para o estabelecimento da área tanto no ambiente acadêmico como empresarial, os primeiros pesquisadores usaram de métodos filosóficos e científicos nos mesmo moldes das ciências tradicionais. Tendo como base esse método, o objetivo deste ensaio teórico é identificar a classificação dos fenômenos de distribuição presente nas primeiras obras publicadas, e suas relações com o pensamento filosófico e científico estabelecido no período. Por meio de uma pesquisa historiográfica e documental, analisou-se duas importantes obras que contribuíram para a institucionalização da área, Marketing Methods (1910) e Marketing Problems (1920), com foco de investigação a forma pela qual foi tratado a classificação dos fenômenos de distribuição. Nesta análise foi identificado que os autores procuraram métodos científicos de classificação dos fenômenos de distribuição para a posterior delimitação do objeto de pesquisa, e para que pudessem estabelecer as leis que regeriam os fenômenos ligados ao Marketing.


Palavras-chave


Marketing. Ciência. Institucionalização. Filosofia. Classificação. Estratégias de distribuição.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRÃO, B. S.História da Filosofia. São Paulo: Best Seller, 2002.

AJZENTAL, A. Uma história do pensamento em marketing. Tese de Doutorado.São Paulo: Universidade Getúlio Vargas – FGV, 2008.

AMA-American Marketing Association. (2016). Disponivel em: . Acesso em: 19 Dezembro 2016.

ARANTES, A.C.A & outros. Administração Mercadológica: Princípios e Métodos. 2A. Ed. Rio de Janeiro, Ed. Fundação Getúlio Vargas, 1975.

BARTELS, R. The History of Marketing Thought. Ohio, Grid, 1976.

. El Desarrollo del Pensamiento en Mercadotecnia, México, Compañía Editorial Continental, 1964.

. Can Marketing be a Science? Journal of Marketing,15 (Jan. 1951): 319-328.

. Is Marketing Defaulting Its Responsibilities. Journal of Marketing. (Fall 1983): 32-35.

.Sociologists and Marketologists. Journal of Marketing.24 (Jul. 1959 – Abr. 1960): 37-40.

. The General Theory of Marketing. Journal of Marketing. (Jan. 1968): 29-33.

. Influences on the Development of Marketing Thought 1900-1923. Journal of Marketing,16 (1951): 1-17.

. The Identity Crisis in Marketing. Journal of Marketing, 38 (1974): 73-76.

BUTLER, R. S. Marketing Methods. New York, Alexander Hamilton Institute, 1914.

CHAUÍ, M. Convite a Filosofia. São Paulo, Àtica, 1999.

CHIAVENATO, I. Introdução à Teoria geral da Administração – Edição Compacta. Rio de Janeiro, Campus, 2000.

CHERINGTON, P. T..The Elements of Marketing. Nova York, The Macmillan Company, 1921: 5-16.

COBRA, M. Administração de Marketing. São Paulo, Atlas, 1992.

COMTE, A.Curso de Filosofia Positiva. Em Comte.Tradução brasileira de José A. Giannotti e Miguel Lemos. São Paulo, Abril Cultural, 1978 (Col. Os Pensadores).

COPELAND, M. T. Marketing Problems. Nova York, A. W. Shaw Company, 1920.

DINIZ, A. P. C. Marketing Critico: precisamos falar sobre isso. VII Encontro de Marketing da Anpad. 2016.

GRISI, C. C. H.; GRISI, J. R. M.; SANTOS, R. C. Marketing: As Controvérsias do Marketing Moderno. Revista de Administração, v. 18, n. 4, p. 59-65, 1983.

HOBSBAWM, E. J. A era dos impérios.Tradução brasileira de S. M. Campos & Y. S. Toledo. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 2002.

JONES, D. G. B. & WITKOWSKI, T. H. Historiography in Marketing: Its Growth, Structure of Inquiry, and Disciplinary Status. Business History Conference, 2008.

KOTLER, P. Marketing – Edição Compacta. Tradução brasileira de H. de Barros. São Paulo, Atlas, 1996.

KOTLER, P; KELLER, K. L. Administração de Marketing. São Paulo: Pearson, 2012.

JONES, D. G. B., E T. H. WITKOWSKI. Historiography in Marketing: Its Growth, Structure of Inquiry, and Disciplinary Status. Business History Conference, 2008.

LAS CASAS, A. L. Marketing – Conceitos, Exercícios e Casos. São Paulo, Atlas, 2001.

LAZER, W. Education for Marketing. Journal of Marketing. Jul. 1966: 33-34.

MAXIMIANO, A.C.A. Teoria Geral da Administração – Da escola cientifica à competitividade na economia globalizada. 2A. Ed. São Paulo, Atlas, 2000.

MAYNARD, H. H. Early Teachers of Marketing. Journal of Marketing. (Out. 1942): 158-159.

. Marketing Courses Prior to 1910. Journal of Marketing. (Abr. 1941): 382-384.

MCNAIR, M. P. Melvin T. Copeland - Biographies. Jorunal of Marketing, 22, 1957.

MELANDRI, P. A História dos Estados Unidos desde 1865. Tradução de Pedro Elói Duarte. Lisboa, Edições 70, 2000.

OLIVEIRA,S. L. I. Desmistificando o Marketing. São Paulo, Novatec, 2007.

.A Influência da Filosofia e das Ciências nos Primeiros Estudos em Marketing no Início do Século XX, .Dissertação de Mestrado em História da Ciência. PUC-SP. São Paulo, 2007.

.Marketing: Contexto, Institucionalização e Método Tese de Doutorado em História da Ciência. PUC-SP. São Paulo, 2009.

. Institucionalização do marketing no início do século XX: O estudo de caso de Marketing Methods, de Ralph S. Butler. Circumscribere. 11, 2012.

PRIGOGINI, I.Ciência Razão e Paixão. Belém: Eduepa, 2001.

RICHERS, R. O que é Marketing. São Paulo, Brasiliense, 2003.

ROSSI, P. Naufrágios sem espectador. A Idéia de progresso. São Paulo, Editora da Universidade Paulista, 2000.

SAMPSON, A. O homem da companhia. Tradução brasileira de P. M. Soares. São Paulo, Companhia das Letras, 1996.

SHETH, J.N., GARDNER, D.M. & GARRETT, D.E. Marketing Theory: Evolution and Evaluation. New York: John Wiley & Sons, 1988.

SURFACE, A. & E. Alderson. Marketing. Bostom, Ginn and Company, 1940.

WILKIE, W. L. & MOORE, E. S. Scholary Research in Marketing: Exploring the ‘4 Eras’ of Thought Development. Journal of Public Policy & Marketing. (Fall 2003): 116-123.

WOOD, J. P. A Pioneer in Marketing: Ralph Starr Butler. Journal of Marketing (pre-1986), v. 25, n.4, p. 69, 1961.




DOI: https://doi.org/10.23925/2237-4418.2018v33i3p17-32

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Pensamento & Realidade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

e-ISSN: 2237-4418
ISSN Impresso: 1415-5109

Indexado em: