SUBJETIVIDADE NO TRABALHO E MUDANÇA ORGANIZACIONAL: sustentação e reconstrução identitária do funcionário

Airton Luiz Backes

Resumo


A discussão desenvolvida neste artigo, a partir de uma pesquisa descritivo-qualitativa, trata da vivência subjetiva do funcionário em uma empresa em importantes processos de mudanças organizacionais. O escopo da pesquisa está em verificar como a vivência subjetiva das mudanças organizacionais se reflete na sustentação e reconstrução da identidade do funcionário inserido na empresa em questão. As mudanças em curso na empresa pesquisada relacionam-se à mudança de controlador e de gestores, a inserção de novos valores e a inovações organizacionais. No plano teórico, o artigo apresenta aspectos relacionados ao simbólico na relação de trabalho, ao imaginário, à identidade e crise de identidade, a imaginário e ideologia na construção da identidade e identidade organizacional. Conclui-se que a vivência subjetiva das mudanças ocorridas na empresa implicou na desestabilização da identidade do funcionário, por meio do comprometimento do ambiente amistoso, da metaforização do ser humano como fruto do imaginário, do aumento da competitividade e do individualismo e da busca por qualificação profissional em razão da assimilação de uma nova ideologia.

Palavras-chave


Mudança organizacional; Subjetividade; Imaginário; Identidade; Crise de identidade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.20946/rad.v14i3.9439

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Flag Counter

Revista Administração em Diálogo - RAD
ISSN: 2178-0080

     

 

Apoio: