EXPERIMENTO DE DISPERSÃO DE SEMENTES NO SUL DO RIO GRANDE DO SUL, BRASIL

Rubens Cáurio Lobato

Resumo


Durante o ciclo de vida de um vegetal, o processo de dispersão de sementes constitui-se o marco da fase reprodutiva deste organismo. A interação entre os organismos vegetais e os seus dispersores, é que, caracterizam o ambiente estudado. Este trabalho teve por objetivo a demonstração prática de dispersão de sementes ocorridos em duas áreas distintas do Campus Carreiros da Fundação Universidade Federal do Rio Grande – FURG. O experimento consistiu na distribuição de 50 sementes em cada ponto estipulado, sendo 03 para cada área estudada, utilizando-se a técnica fitossociológica dos transectos. Neste trabalho, o ambiente que apresentou maior taxa de predação de sementes foi a área de mato, evidenciando-se que neste tipo de área, a presença de animais que alimentaram-se de sementes ou que promovem a dispersão destas é muito grande. O maior número de perdas ocorreu na área de Campo, demonstrando que os fatores abióticos de dispersão estiveram mais presentes neste local, ao contrário da área de Mato, que obteve um menor resultado neste sentido. O conhecimento do processo de dispersão de sementes pode contribuir para a compreensão dos conceitos de comunidades ecológicas, dos distúrbios e fluxos de energia destes sistemas, além de ser uma ferramenta importante para futuros estudos de Ecologia da Restauração.

Palavras-chave


Dispersão de sementes, Zoocoria, Anemocoria, Ecologia

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários