Atributos ecomorfológicos de peixes do Sul do Estado de São Paulo

Cristina Elena Souza, Walter Barrella

Resumo


Os ecossistemas aquáticos da Região Sul do Estado de São Paulo, representados pelos rios doces e salinos, lagos, brejos, pântanos, mangues e restingas, são de grande interesse ecológico, devido a alta produtividade e ictiofauna diversificada. O estudo da ecomorfologia visou relacionar a morfologia com aspectos ecológicos dos indivíduos, e os fatores abióticos e estruturais de seus hábitats através da aplicação da análise de componentes principais de trinta espécies estudadas. Com esta análise foi possível separar as espécies de acordo com a morfologia de seu corpo e os locais de preferência e utilização dos recursos. Peixes com corpo mais achatado, pedúnculo caudal menor, razão aspecto nadadeira caudal grande, nadadeiras caudais e peitorais pequenas, são espécies que preferem locais de baixa corrente sendo nadadores contínuos e desloca-se verticalmente na coluna d'água. Enquanto que espécies com corpo mais arredondado, pedúnculo caudal grande, e com grande área de suas nadadeiras caudais e peitorais, são espécies mais estacionárias que ocupam locais de alta correnteza. Verificando a orientação da boca, tamanho da cabeça e boca das espécies estudadas conseguimos separar as espécies que tem a preferência alimentar na superfície e meia água e que preferem presas maiores, das espécies que se alimentam no fundo, preferindo partículas de alimento menores. Das espécies estudadas, foram analisadas seis espécies exóticas, cultivadas nas pisciculturas da região, e comparadas morfologicamente, apesar de terem morfologias parecidas, não houve sobreposição de nicho entre as espécies exóticas e nativas, devido a distribuição espacial entre elas ser diferente.

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo