A convergência entre a política industrial, de ciência, tecnologia e de inovação: uma perspectiva neoschumpeteriana e a realidade brasileira a partir dos anos 90

Ednilson Silva Felipe, Alessandro de Orlando Maia Pinheiro, Márcia Siqueira Rapini

Resumo


O artigo mostra que as possibilidades de capacitação inovativa da economia dependem da convergência entre as políticas industrial, de ciência e tecnologia e de inovação, que não é, porém nem natural nem automática. Essa convergência depende da compreensão da natureza, objetivos e instrumentos que podem ser criados de forma a estabelecer uma ‘divisão do trabalho’ entre elas. A política de ciência e tecnologia se volta para a criação de conhecimento (básico e aplicado) que deve permear as decisões empresariais. A política de inovação cria os incentivos para a combinação, pela firma, de tais conhecimentos, visando o aproveitamento de oportunidades percebidas no âmbito da produção e dos serviços e serem validadas pelos mecanismos de mercado. Dadas essas premissas, o artigo prossegue buscando identificar no caso brasileiro, na década de 90 e no período recente, indícios da existência (ou da falta) dessa convergência e as conseqüências para o sistema de inovação brasileiro.

Palavras-chave


Política Industrial; Política de Inovação; Economia Brasileira

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexadores:

Nacionais:

pesquisa & debate


Internacionais: