Indicador de pobreza auto-declarada: discussão e resultados para a Região Metropolitana de São Paulo em 1998

Paulo de Martino Jannuzzi

Resumo


Estudos realizados a partir dos anos 80 tem procurado mensurar a pobreza no Brasil a partir de três perspectivas diferentes: os que dimensionam a pobreza como expressão da insuficiência de renda disponível para consumo de uma cesta de produtos e serviços básicos; as análises ancoradas na percepção da pobreza como a não satisfação de necessidades básicas monetárias e não monetárias dos indivíduos; os estudos que tomam a pobreza como fenômeno de privação relativa e não absoluta de renda ou de outras dimensões socioeconômicas. Este texto têm o propósito de apresentar alguns indicadores baseados na autodeclaração de pobreza, obtidos na Pesquisa de Condições de Vida de 1998 na Região Metropolitana de São Paulo, comparando-os com outras dimensões “mais objetivas” do fenômeno e trazendo evidências empíricas que podem ser úteis para subsidiar o debate sobre esta nova abordagem de estudos de pobreza.

Palavras-chave


pobreza; indicadores sociais; condições de vida; Região Metropolitana de São Paulo

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexadores:

Nacionais:

pesquisa & debate


Internacionais: