Notas sobre as recentes crises e a regulação dos mercados financeiros

Oswaldo Guerra

Resumo


O objetivo deste artigo é examinar três explicações teóricas para recentes crises nos mercados financeiros mundiais e contrapor defensores e oposicionistas à adoção de novas regras para o funcionamento desses mercados. Em tais mercados, interligados através das multinacionais e dos fluxos de capital e de comércio, tem sido crescente a importância dos chamados investidores institucionais. Como a informação é assimétrica e cara, esses investidores preferem adotar uma estratégia de diversificação de carteira e um comportamento de manada para fugir dos elevados custos de obtê-la. Quando eles saem em bando, de um dado espaço nacional, o pânico se alastra contagiando o lado real da economia. Neste contexto, as crises não devem ser vistas como um problema isolado de um específico país, mas sim como algo cuja solução precisa ser pensada globalmente.

Palavras-chave


mercados financeiros; investidores institucionais; crises; regulação

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexadores:

Nacionais:

pesquisa & debate


Internacionais: