Desigualdade de rendimentos e pobreza: uma avaliação das regiões metropolitanas de Salvador e de São Paulo

Wilson F. Menezes

Resumo


O trabalho avalia os determinantes dos rendimentos dos trabalhadores pobres nas regiões metropolitanas de Salvador e de São Paulo. A base de dados utilizada é a Pesquisa de Emprego e Desemprego para as duas regiões metropolitanas. Buscou-se eliminar os possíveis vieses de seleção da amostra, utilizando o procedimento de Heckman, com a inclusão da variável lambda. Os resultados estatísticos mostram um diferencial positivo dos rendimentos dos trabalhadores pobres da região metropolitana de São Paulo. Os trabalhadores pobres nas duas regiões são constituídos mais de mulheres, não-chefes de família e negros; a pobreza é crescente com a idade e decrescente com o nível de escolaridade. A variável que capta o movimento conjuntural da economia se mostrou positiva e estatisticamente significativa nas duas regiões, isso quer dizer que esses segmentos de mercados de trabalho respondem, em termos de remuneração, aos movimentos conjunturais da economia. Por outro lado, a variável que capta a aversão à desigualdade distributiva não foi estatisticamente significativa, permitindo dizer que esses mercados de trabalho são insensíveis ao aspecto distributivo, independentemente da conjuntura econômica, daí a importância de políticas sociais dirigidas para diminuir a concentração dos rendimentos.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexadores:

Nacionais:

pesquisa & debate


Internacionais: