Agora sei falar: o judaísmo em O Gato do Rabino

Cristine Fortes Lia, Daniel Clós Cesar

Resumo


A história de um gato que aprende a falar e dialoga com seu rabino, na Argélia, no início do século XX, remete, em um primeiro momento, a uma narrativa infantil da literatura judaica. No entanto, não existe nenhuma ingenuidade no debate proposto pelo pequeno felino. A obra de Joann Sfar revela a complexidade da fé e da existência de suas comunidades religiosas. Mais que isso, identifica a relação entre a literatura e a religião como elementos identitários judaicos, bem como, o significado da palavra na identidade religiosa dos judeus. Este estudo se ocupa da análise da obra O Gato do Rabino como forma de transmissão dos valores judaicos, relacionando a literatura contemporânea das histórias em quadrinhos com a religiosidade. Analisa, também, a relevância dos quadrinhos nos espaços de aprendizagem, como mecanismo que instrumentalize para o diálogo inter-religioso e de tolerância.


Palavras-chave


judaísmo; literatura; religião; histórias em quadrinhos

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.23925/2236-9937.2019v19p13-39

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Filiada:

Apoio:


Teoliteraria está indexada em:

     

    

  

                         

 

 

 

 

 

Presença da Teoliteraria em Bibliotecas no exterior:

 

                         
                               
            
                        
                       
              
                              
                                          
                       
                
                             

 

           

  

 



  

     
 Está obra está licenciada sobre uma Creative Commons Attribution 4.0 International License.