Aspectos religiosos na adoração de super-heróis: olhares ao fã do gênero da superaventura

Larissa Tamborindenguy Becko, Iuri Andréas Reblin

Resumo


O texto apresenta um estudo sobre os aspectos religiosos presentes na cultura do fã de histórias em quadrinhos. Por meio de uma abordagem bibliográfica e de uma pesquisa de campo com fãs de super-heróis, a investigação problematiza a cultura dos fãs de super-heróis a partir de um diálogo com a teologia, buscando compreender de que forma os elementos simbólicos, míticos, religiosos implícitos e explícitos nas narrativas da superaventura podem reverberar em sua audiência. Para tanto, num primeiro momento, apresenta a centralidade que o super-herói ocupa na era contemporânea, para num segundo momento, destacar alguns elementos mítico-religioso presentes nas narrativas dos super-heróis. Em seguida, o estudo parte para uma análise por meio de três categorias: materialidades, comunidades e espaços. Ao final, o estudo conclui que as histórias dos super-heróis emergem como uma espécie de narrativa religiosa capaz de evocar práticas de devoção e adoração que se traduz no comportamento do fã, refletido, analogicamente, nas materialidades, nas comunidades e nos espaços.

Palavras-chave


Super-heróis; Histórias em Quadrinhos; Cultura de fã

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Rubem. O que é religião? 6. ed. São Paulo: Loyola, 2005.

BECKO, Larissa Tamborindenguy. Desvendando o fã de Super-Heróis: performances, práticas de consumo e identidades. Dissertação (Mestrado) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Programa de Pós-Graduação em Comunicação, 2019. Disponível em:

BARBOSA, L.; CAMPBELL, C. O estudo do consumo nas ciências sociais contemporâneas. In: BARBOSA, L.; CAMPBELL, C. (Org.). Cultura, consumo e identidade. São Paulo: Editora FGV. 2006.

BELLAH, Robert N. The Broken Covenant: American civil religion in time of trial. Chicago: University of Chicago Press, 1992.

BURMANN, Claudir . Espaço e espaço sagrado: um olhar a partir de uma comunidade luterana. Protestantismo em Revista, v. 19, p. 60-68, 2009.

CHIN, Bertha; MORIMOTO, Lori Hithcock. Towards a theory of transcultural fandom. Participations – Journal of Audience and Reception Studies, Volume 10, issue 1, May 2013., pp. 92-108 (17). Disponível em: . Acesso em: 08 jul. 2015.

DIAS, Patrícia Regina Corrêa. Ritos e rituais - vida, morte e marcas corporais: a importância desses símbolos para a sociedade. Revista Vidya. v. 29, n. 2, 2009. Disponível em

DOUGLAS, Mary; ISHERWOOD, Baron. O mundo dos bens: para uma antropologia do consumo. Trad.: Plínio Dentzien. 1.ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2004.

EVANS, A.; STASI, M. Desperately seeking methods: new directions in fan studies research. Participations, volume 11 (2), 2014, p 4-23. Disponível em

FAWAZ, R. The New Mutants: Superheroes and the Radical Imagination of American Comics (Postmillennial Pop). New York: NYU Press, 2016.

GEERTZ, Clifford. A Interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, [1989].

JANOTTI JR., Jeder. Aumenta que isso aí é Rock and Roll. Rio de Janeiro: E-papers Serviços Editoriais, 2003.

KNOWLES, Christopher. Nossos deuses são super-heróis: a história secreta dos super-heróis das histórias em quadrinhos. Tradução: Marcello Borges. São Paulo: Cultrix, 2008.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. Religião na Metrópole. Laboratório do Núcleo de Antropologia Urbana da USP (NAU). 2006. Disponível em < http://nau.fflch.usp.br/sites/nau.fflch.usp.br/files/upload/paginas/Religi%C3%A3o%20e%20Metr%C3%B3pole%202006.pdf>

MARTEL, Frédéric. Mainstream. A guerra global das mídias e das culturas. Tradução: Clóvis Marques. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

MILLER, Daniel. Trecos, troços e coisas: estudos antropológicos sobre a cultura material. Tradução: Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

MOLTMANN, Jürgen. A Vinda de Deus: Escatologia Cristã. São Leopoldo: Unisinos, 2003.

ORTIZ, Renato. Mundialização e cultura. São Paulo: Brasiliense, 2007.

PEIRANO, M. Etnografia, ou a teoria vivida. Ponto Urbe [Online], 2, 2008. Disponível em: http://pontourbe.revues.org/1890

PEIRANO, M. (org). O Dito e o Feito. Ensaios de Antropologia dos Rituais. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002.

PUSTZ, M. J. Comic Book Culture: Fanboys and True Believers. Jackson: University Press of Mississippi, 1999.

REBLIN, Iuri Andréas. Para o alto e avante: uma análise do universo criativo dos super-heróis. Porto Alegre: Asterisco, 2008.

REBLIN, Iuri Andréas. Quadrinhos nas aulas de Ensino Religioso: subsídios e práticas pedagógicas de uma experiência docente. Estudos Teológicos (Online), São Leopoldo, v. 56, n.1, p. 12-39, jan./jun. 2016. Disponível em: < http://est.com.br/periodicos/index.php/estudos_teologicos/article/view/2709/2540>. Acesso em: 20 dez. 2018.

REBLIN, Iuri Andréas. O alienígena e o menino. Jundiaí: Paco Editorial, 2015.

ROQUE, Maria Isabel. Altar cristão: Evolução até à reforma católica. Lisboa: Universidade Lusíada Editora, 2004.

SETTON, M. As religiões como agentes da socialização. Cadernos CERU, 19(2), 2008, P. 15-25.

SPIDER-MAN 2. Sam Raimi. EUA: Columbia Pictures/Marvel Enterprises/Laura Ziskin : Columbia Tristar Home Entertainment, 2004. DVD Vídeo (127 min.) (Edição especial com 2 discos)

VIANA, Nildo. Breve História dos Super-Heróis. In: VIANA, Nildo; REBLIN, Iuri Andréas (org.). Super-Heróis, Cultura e Sociedade. São Paulo: Ideias e Letras, 2011. p. 15-54.

VIANA, Nildo. Heróis e Super-heróis no mundo dos quadrinhos. Rio de Janeiro: Achiamé, 2005.

WOLCOTT, H. F. On ethnographic intent. In: SPINDLER, G.; SPINDLER, L (Eds.). Interpretive ethnography of education: at home and abroad. Hillsdale: Lawrence Erlbaum, 1987. p. 37-57.

ZILLES, U. Adorar ou venerar imagens? Porto Alegre: EDIPUCRS, 2007.




DOI: https://doi.org/10.23925/2236-9937.2019v9n18p171-197

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Filiada:

Apoio:


Teoliteraria está indexada em:

     

    

  

                         

 

 

 

 

 

Presença da Teoliteraria em Bibliotecas no exterior:

 

                         
                               
            
                        
                       
              
                              
                                          
                       
                
                             

 

           

  

 



  

     
 Está obra está licenciada sobre uma Creative Commons Attribution 4.0 International License.