“Nuvens são pássaros...” Jesus na obra “A arca da Aliança” de Carlos Nejar

Kenner Roger Cazotto Terra

Resumo


Carlos Nejar é poeta, crítico literário, romancista e tradutor brasileiro. Membro da Academia Brasileira de Letras, o escritor gaúcho é listado pela crítica entre os trinta e sete poetas mais importantes do século. Sua poesia tem linguagem clássica, estética moderna e trata das questões humanas. O horizonte religioso em sua literatura pode ser identificado nas imagens e metáforas por ele desenvolvidas, as quais demonstram intensas relações intertextuais com a tradição judaico-cristã. Entre suas obras, no livro Os Viventes, em especial na segunda parte, A arca da Aliança, encontramos a reescritura de personagens do cânon bíblico, o que lhe serve como instrumento para descrever, nos lábios dos viventes, os dilemas humanos. Como um monumento das memórias da cultura, a obra preserva as narrativas canônicas relendo-as criativamente. Neste artigo, depois de uma discussão teórica a respeito da relação entre literatura e Bíblia e a apresentação de Nejar, será analisada a maneira como o vivente Jesus, citado ao lado de outros, é reescrito e as memórias da cultura judaico-cristãs são relidas intertextual e alegoricamente, o que possibilita apresentá-lo como ruptura, solidário à angustia humana e senhor cósmico, cuja criação é a expressão poética da palavra.


Palavras-chave


Carlos Nejar, Jesus, literatura e bíblia

Texto completo:

PDF

Referências


ALTER, R. Em espelho crítico. São Paulo: Perspectiva, 1998.

ALVES, Dário Moreira de Castro. A idade da eternidade. Revista Brasileira, fase VII, n.28, ano VII, 2001: 95-102.

ARIÈS, Philippe. A história das mentalidades. In: LE GOFF, Jacques (Org.). A história nova. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

ATHAYDE, Tristão de. Nota preliminar a Tempo e Eternidade. In: LIMA, Jorge de. Obra Completa (org. Afrânio Coutinho). Vol. I. Rio de Janeiro: Aguilar, 1958: 377-379.

AUERBACH, E. Mimesis. São Paulo: Perspectiva, 2013.

BASTOS, Cristiano. Integrante da ABL, escritor gaúcho Carlos Nejar celebra a trajetória. Jornal do Comércio: reportagem cultural. 02/08/2019. Disponível em: https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/especiais/reportagem_cultural/2019/07/695632-integrante-da-abl-escritor-gaucho-carlos-nejar-celebra-a-trajetoria.html. Acesso 08/01/2020.

BURKE, Peter. O que é História Cultural? Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005;

COELHO, Nelly Novaes. Carlos Nejar e a Geração 60. São Paulo: Saraiva, 1971

ERLL, Astrid; RIGNEY, Ann. Literature and the Production of Cultural Memory: Introduction. European Journal of English Studies, v.10, n. 2, 2006: 111-115.

FERREIRA, João Leonel. A Bíblia como Literatura - Lendo as narrativas bíblicas [1]. Correlation, n. 25, 2008: 4-22.

FILHO, Oscar Gama. Posfácio: A idade da aurora. In: NEJAR, Carlos. A idade da aurora. Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Filosofia, 2018:385-393.

FREYRE, Gilberto. O Artista: servo dos que sofrem. In: FILHO, José Bittencourt. Caminhos do Protestantismo Militante: Isal e Conferência do Nordeste. Vitória-ES: Editora Unida, 2014: 380-382.

FRYE, N. Anatomia da Crítica. São Paulo: Perspectiva, 1973.

JUNQUEIRA, Ivan. As dramatis personae de Nejar. In: NEJAR, Carlos. Os Viventes. 3º ed – com mais trezentos novos poemas-viventes. São Paulo: Leya, 2011: 11-15.

LACHMANN, Renate. Mnemonic and Intertextual Aspects of Literature. In: ERLL, Astrid; NÜNNING, Ansgar (ed.).Cultural Memory Studies: An International and Interdisciplinary Handbook. Berlin: Walter De Gruyter, 2008: 301-310

LE GOFF, Jacques; NORA, Pierre (Org.). História: novos objetos. Rio de Janeiro: F. Alves, 1988

LINHARES, T; REICHMANN, E. A poética de Carlos Nejar. Curitiba: Impressa da Universidade Federal do Paraná, 1973.

LYRA, Pedro (Org.). Roteiro da poesia brasileira: Anos 60. São Paulo: Editora Global, 2011.

LYRA, Pedro (Org.). Sincretismo: A poesia da geração 60. Rio de Janeiro: Topbooks, 1995.

MACHADO, Cínthia M. dos Santos F. Entre a recriação e a renúncia, o ato de deixar falar: breve abordagem sobre produtividade poética brasileira e polifonia a partir de Chico Alvim e Carlos Nejar. Jangada: Colatina/Urbana, n.6, jul/dez, 2015: 36-56

MACHADO, Cínthia Marítz dos Santos Ferraz. A palavra iluminada: “A arca da aliança” – paródia na poesia religiosa de Carlos Nejar. Dissertação (mestrado). Viçosa – MG: Departamento de Letras, Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal de Viçosa, 2013.

MELETINSKI, Eleazar M. El Mito. Literatura e folclore. Madrid: Ediciones Akal, 2001.

MELETINSKI, Eleazar M. Os Arquétipos Literários. São Paulo: Ateliê Editorial, 2002.

NEJAR, Carlos. Fúria Azul – Antielegias. São Paulo, Ateliê Editora, 2012.

NEJAR, Carlos. História da Literatura Brasileira: da carta de Caminha aos contemporâneos. 3º ed. rev. e ampl. Palhoça: Editora Unisul, 2014.

NEJAR, Carlos. Os Viventes. 3º ed – com mais trezentos novos poemas-viventes. São Paulo: Leya, 2011.

NEJAR, Carlos. Todas as fontes estão em ti. São Paulo: Hagnos, 2000.

PONTES, Roberto. Sincretismo: a poesia da Geração 60 e a do Grupo SIN (1968-2008). Revista dos Encontros Literários Moreira Campos, ano 1, n. 2, 2008: 1-14.

PORTELLA, Eduardo. A ressurreição da palavra segundo Carlos Nejar. In: PONTIERO, G. (org.) Carlos Nejar; poeta e pensador. Porto Alegre: Edições Porto Alegre, 1983:72-76.

REACHERS, Sammis. Entrevista com o Poeta e Pastor Carlos Nejar. In: Poesia Evangélica: a poesia evangélica ontem e hoje. Disponível em: http://poesiaevanglica.blogspot.com/2012/09/entrevista-com-o-poeta-e-pastor-carlos.html. Acesso 06.01.2020.

RODRIGUES, Geraldo P. Viventes e sobreviventes. In: PONTIERO, G. (org.) Carlos Nejar; poeta e pensador.Porto Alegre: Edições Porto Alegre, 1983:338-340.

SIEBENMANN, Gustav. Poesía y poéticas del siglo XX en la América hispana y El Brasil. Historia-Movimientos-Poetas. Madrid: Oredos, 1997.

TEIXEIRA, Ivan. Ficção poética em Carlos Nejar. In: NEJAR, Carlos. Fúria Azul – Antielegias. São Paulo, Ateliê Editora, 2012: 153-156.

TERRA, Kenner R. C. Memória, texto e cultura: interpelações para a leitura dos textos sagrados. Estudos de Religião, n.1, Vol. 28, 2014: 66-86.

TERRA, Kenner R. C. Teorias da linguagem e estudos do discurso: apontamentos metodológicos para uma análise do discurso religioso. Horizonte, n. 51, vol. 16, 2018: 1085-1106.

VAINFAS, Ronaldo. História das mentalidades e história cultural. In: CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo (Orgs.). Domínios da História: ensaios de teoria e metodologia. Rio de Janeiro: Elsevier, 1997: 127-164

VOVELLE, Michel. Ideologias e mentalidades. São Paulo: Brasiliense, 1987




DOI: https://doi.org/10.23925/2236-9937.2020v20p38-69

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Filiada:

Apoio:


Teoliteraria está indexada em:

     

    

  

                         

 

 

 

 

 

Presença da Teoliteraria em Bibliotecas no exterior:

 

                         
                               
            
                        
                       
              
                              
                                          
                       
                
                             

 

           

  

 



  

     
 Está obra está licenciada sobre uma Creative Commons Attribution 4.0 International License.