MARIA MADALENA NOS TEXTOS APÓCRIFOS E NAS SEITAS GNÓSTICAS

Wilma Steagall De Tommaso

Resumo


Maria Madalena, que serviu e seguiu Jesus de Nazaré, é a mulher mais citada nos Evangelhos Canônicos. Sua participação nos Evangelhos deu margem a que ela se tornasse um personagem híbrido, composto de mais duas mulheres. Esses fatos e os textos apócrifos onde ela aparece como a portadora do conhecimento (gnose), a companheira de Jesus, e outros atributos que causavam ciúme nos outros apóstolos, foram importantes para desenvolver a base do gnosticismo. Essa seita se expandiu com muita intensidade e diversidade nos primeiros séculos do cristianismo. A Igreja combateu de forma rigorosa os gnósticos, que ela considerava hereges. É no meio de um embate como esse, que teve seu fim no século IV, que Maria Madalena ainda hoje permite as mais diversas construções literárias.

Palavras-chave


Maria Madalena; apócrifos; gnosticismo; cristianismo.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.