A AGONIA DO HOMEM ANTE O DESAMPARO NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA À LUZ DO PENSAMENTO DE GABRIEL MARCEL

Genival Oliveira Carvalho

Resumo


O homem contemporâneo é um ser que agoniza e a Segunda Guerra Mundial foi somente a última enfermidade que atacou a esse ser moribundo. Porém, a morte de Deus na obra de Nietzsche não significa, segundo Marcel, a morte do Deus da Revelação, senão a do Deus da Teodicéia. O homem contemporâneo sabe cada vez menos quem é porque não tem uma resposta única e simples à pergunta: quem sou? Para Marcel, a resposta que pede a pergunta do "homem do barraco" não pode vir nem do Estado nem da sociedade em geral, nem tampouco de outro indivíduo ou de outro homem que tenha uma vida própria. Somente Deus possui a resposta para a pergunta que se coloca o homem do barraco e o homem problemático. Por isso, se Deus não existe, o homem está, inevitavelmente, conduzido à agonizante situação de não poder saber quem é.

Palavras-chave


agonia do homem; desamparo do homem; homem do barraco; homem problemático; morte de Deus

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.