A RELAÇÃO SER HUMANO-NATUREZA NO DESENCANTAMENTO RELIGIOSO DO MUNDO

Emmanuel Ramalho

Resumo


O conceito de desencantamento do mundo, de Max Weber, possui dois significados. O primeiro, o núcleo do conceito, é a desmagificação da religião no ocidente; o segundo é a perda de sentido do mundo referente ao esvaziamento de significado deste e da vida. A eliminação da magia, empreendimento realizado pela tradição judaico-cristã, implica a desdivinação do mundo imanente; a eliminação do sentido do mundo, realizada pela ciência moderna, implica a perda da noção de mundo orientado divinamente. Portanto, o desencantamento elimina gradualmente determinados elementos do que pode ser considerado sagrado neste mundo. Dessa forma, considerando a relevância do debate contemporâneo acerca das desconstruções de ideias e comportamentos incompatíveis com vidas e sociedades ambientalmente sustentáveis, este artigo visa contribuir com esta discussão ao analisar a relação ser humano-natureza neste fenômeno sócio-histórico que marca o desenvolvimento cultural do ocidente, o desencantamento do mundo, porém, focando no núcleo duro do conceito, o desencantamento religioso. O método de investigação é bibliográfico. O marco teórico conceitual utilizado para fundamentar a pesquisa é a sociologia da religião e a ecofilosofia.


Palavras-chave


desencantamento; magia; ecologia.

Texto completo:

PDF

Referências


BERMAN, Morris. The reenchantment of the world. London: Cornell Press, 1981.

BÍBLIA. Português. A Bíblia de Jerusalém. Nova edição. São Paulo: Paulus, 1985.

BOFF, Leonardo. Conotação antiecológica na tradição judaico-cristã. Voices, 1 (34), p. 17-23, 2011.

CAMPBELL, Joseph. O Poder do Mito. São Paulo: Palas Athena, 1990.

CLAUS, C. Anne; CHAN, Kai M. A.; Satterfield, Terre. The roles of people in conservation. In: Conservation biology for all. ed. Navjot S. Sodhi; Paul R. Ehrlich. Nova Iorque, Oxford University Press, 2010.

CLIFTON, Chas; HARVEY, Grahan (org). The Paganism Reader: An introduction. New York: Routledge, 2004.

DEVALL, Bill; SESSIONS, George. Deep Ecology: Living as nature mattered. Salt Lake City: Peregrine Smith, 1985.

GONÇALVES, Carlos Walter Porto. Os (des)caminhos do meio ambiente. São Paulo: Contexto, 2001.

GUERRIERO, Silas. Novos Movimentos Religiosos: O quadro brasileiro. São Paulo: Paulinas, 2006.

HANEGRAAFF, Wouter J. New Age religion and Western culture: Esotericism in the mirror of secular thought. Nova Iorque: Brill, 1996.

MARIZ, Cecília Loreto. A sociologia da religião de Max Weber. In: Sociologia da religião: enfoques teóricos. ed. Faustino Teixeira. Petrópolis: Vozes, 2003.

MOSCOVICI, Serge. Natureza: Para pensar a ecologia. Rio de Janeiro: Mauad, 2007.

NEGRÃO, Lísias Nogueira. Nem “jardim encantado”, nem “clube dos intelectuais desencantados”. RBCS, 59 (20), p. 23-26, 2005.

NEGRÃO, Lísias Nogueira. Trajetórias do Sagrado. Tempo Social. Revista de Sociologia da USP, (20), p. 115-132, 2008.

OLIVEIRA, Rosalira S. Tecendo vínculos com a Terra: Paganismo Contemporâneo: percepções, valores e visão de mundo. Tese. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2004.

PARTRIDGE, Christopher. The Reenchantment of the West. Volume I. Nova Iorque: T&T Clark International, 2005.

PASI, Marco. Teses de magia. Tradução de Emmanuel Ramalho. Religare, 1 (13), p.266-276, 2016.

PIERUCCI, Antônio Flávio. A Magia. São Paulo: Publifolha, 2001.

PIERUCCI, Antônio Flávio. O desencantamento do mundo: Todos os passos do conceito em Max Weber. São Paulo: Editora 34, 2003.

PLUMWOOD, Val. Feminism and the Mastery of Nature. London: Routledge, 1993.

PRANDI, Reginaldo. Perto da magia, longe da política: Derivações do encantamento do mundo desencantado. Novos Estudos Cebrap. 34, 1992.

PRANDI, Reginaldo. A religião do planeta global. In: Religião e Globalizaçã, ed. Ari Pedro Oro; Luís Carlos Steil. Petrópolis: Vozes, 1997.

RUETHER, Rosemary Radford. Ecofeminism: Symbolic and social connections of the oppression of women and the domination of nature. In: Ecological Prospects: Scientific, religious and aesthetic perspectives. Nova Iorque: New York Press, 1994.

THOMAS, Keith. Religião e o Declínio da Magia. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

THOMAS, Keith. O homem e o mundo natural. São Paulo: Companhia das letras, 2010.

UNGER, Nancy Mangabeira. O encantamento do humano: Ecologia e espiritualidade. São Paulo: Loyola, 1991.

WEBER, Max. História geral da economia. São Paulo: Mestre Jou, 1968.

WEBER, Max. A ciência como vocação. In: Ciência e política: duas vocações. São Paulo: Cultrix, 1972.

WEBER, Max. Confucionismo e Puritanismo. In: Weber: sociologia, ed. Gabriel Cohn. São Paulo: Ática, 1979.

WEBER, Max. Economia e sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva. Volume II. 4ª ed. São Paulo: IMESP, 2004a.

WEBER, Max. A ética protestante e o “espírito” do capitalismo. 11ª Ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2004b.

WHITE, Lynn Jr. The Historical Roots of Our Ecological Crisis. Science, 155, p. 1203-1207, 1966.




DOI: https://doi.org/10.23925/1980-8305.2019.i1p2-18

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.