Conceitualizações do corpo em psicopatologia e em poesia

Alfonso Santarpia, R. Venturini, A. Blanchet, M. Cavallo

Resumo


O objetivo do nosso estudo é identificar diversas conceptualizações do corpo expressas em contextos da psicopatologia e literatura. Propomos uma categorização específica de sentenças literárias a partir da Teoria da Metáfora Conceitual (Lakoff e Johnson 1980, 1999) e a Teoria da Simulação do Contexto Limitado (Ritchie 2003, 2006, 2008). Com base no corpus analisado, mostramos que em manuais psiquiátricos, o corpo físico é sempre concebido em termos metafóricos envolvendo a categoria do CORPO COMO RECIPIENTE, portanto, com um alto grau de atributos não específicos. Em manuais de psicanálise, o corpo é representado por “sentenças sexuais-sensuais” ou por “noções” abstratas. A poesia italiana oferece uma representação adicional do corpo com ênfase especial nos órgãos e outras partes do corpo como “coração”, “mão(s)”, “face”, mas também “sangue”, “tórax”, “braço(s)”, “olho(s)”, “seio(s)”, “cabeça”, “carne”, “pele”.

Palavras-chave


construção literal do corpo; metáforas conceptuais do corpo; teoria da simulação contextual-limitada; metáforas lingüísticas do corpo; psicosomática; representação do corpo; sentenças literais do corpo

Texto completo:

PDF (English)

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Revista Delta-Documentação e Estudos em Linguística Teórica e Aplicada ISSN 1678-460X