Concordância nominal variável de número e saliência fônica: um estudo experimental*

Cristina Azalim, Mercedes Marcilese, Cristina Name, Lilian Scher, Lydsson Gonçalves

Resumo


O português brasileiro exibe um padrão variável de concordância

de número em que se destacam duas regras principais: marcação

redundante em todos os itens relacionados e, alternativamente,

concordância não redundante, com marca obrigatória no determinante

ou no pronome possessivo. A saliência fônica, uma propriedade

vinculada ao contraste de material fônico quando comparadas as formas

singular e plural de um dado item, tem sido apontada na literatura como 

um fator relevante na alternância entre essas regras. Investigamos aqui

experimentalmente o papel desse fator na realização morfofonológica

da concordância nominal. Reportamos dois experimentos de produção

eliciada conduzidos com falantes adultos, o primeiro utilizando nomes

reais e o segundo pseudo-nomes. Os resultados revelam diferenças

significativas em virtude da regra empregada  com tempos de reação

maiores na condição não redundante  e não permitem sustentar um

efeito de saliência nos termos em que esse fator é tradicionalmente

caracterizado. A tonicidade da sílaba que carrega o morfema de plural

parece ser, no entanto, relevante na alternância entre as regras.


Palavras-chave


Saliência fônica; Concordância nominal variável; Processamento linguístico; Variação linguística.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Revista Delta-Documentação e Estudos em Linguística Teórica e Aplicada ISSN 1678-460X