Sobre a produtividade e a semântica do prefixo des- no português brasileiro atual*

Camila De Bona, Pablo Nunes Ribeiro

Resumo


O estatuto semântico do prefixo des- no português tem sido um tópico

bastante discutido na literatura recente. Neste trabalho, objetiva-se

retomar os dados de Bona (2014) para verificar a hipótese de que o prefixo

des- tenha passado a denotar apenas a reversão de uma trajetória de

mudança (aplicando-se produtivamente a verbos de mudança ou nomes

deverbais), não mais se configurando como um prefixo de negação de

estado. Para fins de análise, como referencial teórico, elegemos o modelo

de Lieber (2004), o qual apresenta um conjunto de traços semânticos

para a descrição de afixos, tais como [-Loc], para negações, e [+IELTS],

para trajetórias. Concomitante a isso, uma pesquisa diacrônica sobre a

datação de entrada desses itens lexicais no português foi feita, além de 

uma comparação com itens neológicos, para avaliar a produtividade,

no português brasileiro atual, do prefixo des-.

 


Palavras-chave


Prefixo des-; Semântica lexical; Reversão; Negação.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Revista Delta-Documentação e Estudos em Linguística Teórica e Aplicada ISSN 1678-460X