Percepções sobre o cuidado com idosos portadores de Alzheimer: contribuições a partir dos discursos da equipe de enfermagem

Anna Paula Martinez, Bruna Abib Constantino, Cássia Maria Hilkner Silva Messina

Resumo


Introdução: a Doença de Alzheimer (DA) é a patologia neurodegenerativa associada à idade mais prevalente. Essa pesquisa se justifica pela importância em analisar o conhecimento e os aspectos psicoemocionais dos profissionais de enfermagem que atuam em instituições de longa permanência com idosos. Objetivos: analisar a percepção da equipe de enfermagem de instituiçõesde longa permanência em relação à DA. Método: trata-se de um estudo exploratório de natureza qualitativa. Foram entrevistados onze auxiliares de enfermagem da equipe multiprofissional de uma Clínica ResidencialGeriátrica do município de Sorocaba/SP. A coleta de dados foi realizada através de entrevista individual e a análise foi feita através da técnica do Discurso do Sujeito Coletivo. Resultados: o estudo mostrou que o convívio com os idosos permite conhecer os principais sintomas da doença, entretanto, de forma superficial, como, por exemplo, as alterações cognitivas e comportamentais. Isso limita as possibilidades de intervenção. Identificou também que esses profissionais sentem satisfação em cuidar de idosos portadores da DA, porém alguns profissionais relataram que, além da sobrecarga de trabalho, o estresse e a ansiedade influenciam no aspecto psicoemocional. Conclusão: os auxiliares de enfermagem entrevistados têm conhecimento empírico sobre a DA e seus respectivos cuidados. Do ponto de vista emocional há um impacto negativo em função da preocupação com sua própria saúde, mas há uma satisfação pessoal.


Palavras-chave


Doença de Alzheimer; assistência à saúde; enfermagem geriátrica; idoso

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Ministério da Saúde. Estatuto do Idoso. 1ª ed. 2ª reimpr. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2006. p. 70.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [Internet]. Rio de Janeiro: IBGE; 2008 [acesso em 14 set. 2010]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/noticia_visualiza.php?id_noticia=1272&id_pagina.

Pascoal SMP, Salles RFN, Franco RP. Epidemiologia do envelhecimento. In: Papaléo Neto M, Carvalho Filho ET. Geriatria: fundamentos, clínica e terapêutica. 2a ed. São Paulo: Atheneu; 2002. p. 19.

Carvalho Filho ETC, Papaléo Netto M. Geriatria: fundamentos clínica e terapêutica. 2a ed.São Paulo: Atheneu; 2006.

Souza RS. Anatomia do envelhecimento. In: Papaléo Neto M, Carvalho Filho ET. Geriatria: fundamentos, clínica e terapêutica. 2a ed. São Paulo: Atheneu; 2002. p. 35-42.

Cançado FAX, Horta ML. Envelhecimento cerebral. In: Freitas EV, Py L, Cançado FAX, Doll J, Gorzoni ML. Tratado de geriatria e gerontologia. 2a ed. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan; 2006; 194-211.

Lindeboom J, Weinstein H. Neuropsychology of cognitive ageing, minimal cognitive impairment, Alzheimer's disease, and vascular cognitive impairment. Eur J Pharmacol. 2004;490(1-3):83-6.

Falcão DVS, Bucher-Maluschke JSNF. Cuidar de familiares idosos com a doença de Alzheimer: uma reflexão sobre aspectos psicossociais. Psicol Estud. 2009;14(4):777-86.

Potter PA, Perry AG. Fundamentos de enfermagem. Rio de Janeiro: Elsevier; 2006. cap. 12; p. 207-29.

Lefévre F, Lefévre AMC. O discurso do sujeito coletivo: um novo enfoque em pesquisa qualitativa; desdobramentos. Caxias do Sul: EDUCS; 2003.

Minayo MCS. O Desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. Rio de Janeiro: Hucitec; 1998.

Feliciano AB, Moraes SA. Demanda por doenças crônico-degenerativas entre adultos matriculados em uma unidade básica de saúde em São Carlos - SP. São Carlos (SP): Rev Latino-Am Enferm. 1999;7(3):41-7.

Bastos CC, Guimarães LS, Santos MLADS. Mal de Alzheimer: uma visão fisioterapêutica [Internet]. [acesso 6 setembro 2011]. Disponível em URL: http://www.nead.unama.br/site/bibdigital/pdf/artigos_revistas/114.pdf.

Nitrini R, Caramelli P, Bottino CMC, Damasceno BP, Brucki SM, Anghinah R. Diagnóstico de doença de Alzheimer no Brasil: avaliação cognitiva e funcional. Recomendações do Departamento Científico de Neurologia Cognitiva e do Envelhecimento da Academia Brasileira de Neurologia. Arq Neuro-Psiquiatr. 2005;63(3):1-11.

Sadir MA, Bignotto MM, Lipp MEN. Stress e qualidade de vida: influência de algumas variáveis pessoais. Paidéia. 2010;20(45):1-11.

Carmello E. Qualidade de vida no trabalho [Internet]. 2007 [acesso em 04 ago 2011]. Disponível em: http://www.rhportal.com.br/artigos/wmview.php?idc_cad=a7o2sdrwi.

Mansur B, Soderberg T. Cuidando do Idoso [Internet]. 2004 [acesso em 27 ago. 2011]. Disponível em: http://www.santos.sp.gov.br/saude/manual.pdf.

Mayor MS, Ribeiro O, Paúl C. Estudo comparativo: percepção da satisfação de cuidadores de pessoas com demência e cuidadores de pessoas com AVC. Rev Latino-Am Enferm. 2009;17(5):1-8.

Borges MF. Convivendo com Alzheimer [Internet] 2008 [acesso em 19 set 2011]. Disponível em: http://www.cuidardeidosos.com.br/wp-content/uploads/2008/04/manual-do-cuidador-alzheimer.pdf.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.