Estenose da artéria renal e o desenvolvimento da hipertensão renovascular

Anderson Martelli

Resumo


A Estenose Arterial Renal (EAR) responde por até 5% das causas de hipertensão arterial, tendo como causas principais a aterosclerose e a displasia fibromuscular. Como consequência, o paciente pode desenvolver a Hipertensão Renovascular (HR), sendo esta uma causa potencialmente curável de hipertensão arterial. Esta revisão aborda os aspectos clínicos da EAR e, consequentemente, da HR. Atualmente, tem havido um crescente interesse em identificar causas passíveis de prevenção ou reversíveis de hipertensão arterial e disfunção renal, sendo a reversão da obstrução das artérias renais uma promissora estratégia terapêutica. O diagnóstico precoce permite uma abordagem terapêutica adequada e melhor resposta ao tratamento. 


Palavras-chave


obstrução da artéria renal; aterosclerose; hipertensão renovascular

Texto completo:

PDF

Referências


Miranda RD, Perrotti TC, Bellinazzi VR, Nóbrega TM, Cendoroglo MS, Tomiolo Neto J. Hipertensão arterial no idoso: peculiaridades na fisiopatologia, no diagnostico e no tratamento. Rev Bras Hipertens. 2002; 9(3):293-300.

Santos SN, Leite LR, Tse TS, Beck R, Lee RA, Shepherd RFJ. Índice de resistividade renal como preditor da revascularização renal para hipertensão renovascular. Arq Bras Cardiol. 2010;94(4):452-6.

Feldman A, Freitas LZF, Collet CA, Mota AR, Pimenta E, Sousa M, Cordeiro A, et al. A relação entre estenose de artéria renal, hipertensão arterial e insuficiência renal crônica. Rev Bras Hipertens. 2008; 15(3):181-4.

Azevedo RG, Paz MAC. A prevalência de hipertensão arterial em idosos atendidos no centro de convivência para idosos em Cuiabá. Estud Interdiscip Envelhec. 2006; 9:101-15.

Praxedes JN. Hipertensão renovascular: epidemiologia e diagnóstico. Rev Bras Hipertens. 2002; 9:148-53.

Marte AP, Santos, RD. Bases fisiopatológicas da dislipidemia e hipertensão arterial. Rev Bras Hipertens. 2008;14(4):252-7.

Pellizzaro MC, Pancheniak EFR. Assistência farmacêutica no tratamento de doenças cardiovasculares e hipertensão. Infarma. 2003;15(9-10).

Corrêa TD, Namura JJ, Pontes-Silva CA, Castro MG, Meneghini A, Ferreira C. Hipertensão arterial sistêmica: atualidades sobre sua epidemiologia, diagnóstico e tratamento. Arq Med ABC. 2005;31:91-101.

Guyton AC, Hall JE. Tratado de fisiologia médica. Rio de Janeiro: Elsevier; 2011.

Pimenta E, Calhoun DA. Uso dos antagonistas da aldosterona no tratamento da hipertensão arterial refratária. Rev Bras Hipertens. 2007;14(4):252-7.

Macêdo TA, Bortolotto LA. Associação de estenose de artéria renal e doença coronária em pacientes com hipertensão e ate­rosclerose. Rev Bras Hipertens. 2009;16:190-1.

Safian RD, Textor SC. Renal-artery stenosis. N Engl J Med. 2001;344:431-42.

Cardozo MA. Doenças vasculares: estenose da artéria renal [Internet]. Porto Alegre: Marco Aurélio Cardozo; [2013] [acesso em 10 jun. 2013]. Disponível em: http://www.drcardozo.com.br/saiba_vasculares08.html.

Pedrosa RP, Cabral MM, Pedrosa LC, Sobral Filho DC, Lorenzi-Filho G. Apneia do sono e hipertensão arterial sistêmica. Rev Bras Hipertens. 2009;16:174-7.

Tumelero RT, Duda NT, Tognon AP, Thiesen M. Prevalência de estenose das artérias renais em 1.656 pacientes que realizaram cateterismo cardíaco. Arq Bras Cardiol. 2006;87(3):248-53.

Novick AC, Ziegelbaum M, Vidt DG, Gifford RW Jr, Pohl MA, Goormastic M. Trends in surgical revascularization for renal artery disease. Ten years' experience. JAMA. 1987;257(4):498-501.

Neves PDMM, Oliveira AAO, Oliveira MCO, Machado JR, Reis MA, Mendonça HM, et al. Pesquisa de doença aterosclerótica multiarterial em pacientes hipertensos com estenose de artéria. J Bras Nefrol. 2012;34(3):243-50.

Cirurgia endovascular: estenose da artéria renal [Internet]. São Paulo: Cirurgia Endovascular; c2013 [acesso em 17 maio 2013]. Disponível em: http://www.endovascular.com.br/doencas/.

Scoble JE, Sweny P, Stansby G, Hamilton G. Patients with atherosclerotic renovascular disease presenting to a renal unit: An audit of outcome. Postgrade Med J. 1993;69:461-5.

Connolly JO, Higgins RM, Walters HL, Mackie AD, Drury PL, Hendry BM, et al. Presentation, clinical features and outcomes in different patterns of atherosclerotic renovascular disease. QJM. 1994;87:413-21.

VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão. Arq Bras Cardiol. 2010;95(1supl1):1-51.

Bonamigo TP. Alternativas para o tratamento cirúrgico da hipertensão renovascular. Rev Soc Cardiol Rio Gd do Sul. 2004;13(2):1-6.

Papelbaum B. Candia R, Continentino MA, Leonel AD, Tellez E, Gadelha EB, et al. Hipertensão renovascular: do diagnóstico ao tratamento. Rev Bras Hipertens. 2007;14:127-30.

Scarin NR. Hipertensão renovascular: diagnóstico e tratamento. Rev Med Ana Costa. 2004;9(1):6-11.

Bhalla A, D'Cruz S, Lehl SS, Singh R. Renovascular hypertension - its evaluation and management. J Indian Acad Clin Med. 2003;4(2):139-46.

Wainstein MV, Lemos P. Doença aterosclerótica da artéria renal. Rev Bras Cardiol Invas. 2007;15(1):70-2.

Cooper CJ, Murphy TP, Matsumoto A, Steffes M, Cohen DJ, Jaff M, et al. Stent revascularization for the prevention of cardiovascular and renal events among patients with renal artery stenosis and systolic hypertension: rationale and design of the CORAL trial. Am Heart J. 2006;152:59-66.

Carnevale FC, Moreira AM, Pinto RAP, Borges MV, Elkis H. Indicações do tratamento endovascular nas estenoses da artéria renal. Rev Bras Cardiol Invas. 2006;14(1):76-81.

Dworkin LD. Controversial treatment of atherosclerotic renal vascular disease: The Cardiovascular Outcomes in Renal Atherosclerotic Lesions Trial. Hypertension. 2006;48:350-6.

Harrison TR. Medicina Interna. 15ª ed. Rio de Janeiro: McGraw Hill; 2002. v. 2, p. 2978.

Martelli A. Sistema renal e sua influência no controle em longo prazo da pressão arterial. UNOPAR Cient Ciênc Biol Saúde. 2013;15(1):75-80.

Chrysochou C, Kalra PA. Epidemiology and natural history of atherosclerotic renovascular disease. Prog Cardiovasc Dis. 2009;52:184-95.

Rang HP, Dale MM, Ritter JM, Flower RJ. Rang & Dale farmacologia. Rio de Janeiro: Elsevier; 2007.

Simões e Silva AC, Pinheiro SVB, Santos RAS. Peptídeos e interação coração-rim. Rev Bras Hipertens. 2008;15(3):134-43.

Conlon PJ, Little MA, Pieper K, Mark DB. Severity of renal vascular disease predicts mortality in patients undergoing coronary angiography. Kidney Int. 2001;60:1490-7.

Lopes MG, Colombari ML, Nassif AE. Hipertensão renovascular: revisão de literatura. Uningá Rev. 2011;5(1):21-7.

Jensen G, Zachrisson BF, Delin K, Volkmann R, Aurell M. Treatment of renovascular hypertension: one year results of renal angioplasty. Kidney Int. 1995;48:1936-45.

Axelrod DA, Fendrick AM, Carlos RC, Lederman RJ, Froehlich JB, Weder AB, et al. Percutaneous stenting of incidental unilateral renal artery stenosis: decision analysis of cost costs and benefits. J Endovasc Ther. 2003;10:546-56.

Cioni R, Vignali C, Petruzzi P, Neri E, Caramella D, Vagli P, et al. Renal artery stenting in patients with a solitary functioning kidney. Cardiovasc Intervent Radiol. 2001;24:372-7.

Bonelli FS, McKusick MA, Textor SC, Kos PB, Stanson AW, Johnson CM, et al. Renal artery angioplasty: technical results and clinical outcomes in 320 patients. Mayo Clin Proc. 1995;70:1041-52.

Peixoto RTS, Peixoto ECS, Tedeschi AL, Peixoto RTS, Sena MA, Villela RA, et al. Resultados e evolução intra-hospitalar da angioplastia de artéria renal na hipertensão renovascular. Rev SOCERJ. 2007;20(5):329-37.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.