Estudo da mortalidade infantil no Município de Ituverava/SP, 2005 a 2008

Marcela Gomes da Silva Nishimoto, Paola Zucchi, Patrícia Coelho Soarez

Resumo


O Coeficiente de Mortalidade Infantil tem sido considerado um bom indicador das condições de saúde infantil e nível socioeconômico de uma população. Objetivo: descrever os determinantes de mortalidade infantil em uma população usuária do SUS, no município de Ituverava/SP no período de 2005 a 2008. Método: estudo observacional transversal da mortalidade dos menores de um ano. Resultados: verificou-se uma maior distribuição dos óbitos infantis como neonatal precoce. Portanto, é fundamental que as gestantes de risco sejam identificadas precocemente no pré-natal e recebam atenção especial durante a gestação e o parto, com os recursos de saúde sendo direcionados preferencialmente para esses grupos, pois são estas gestantes que geram os recém-nascidos de risco que vêm a falecer nos primeiros dias de vida. Setenta e seis por cento dos óbitos infantis foram classificados como reduzíveis por adequado no controle da gravidez. E, com isso, é necessário que seja fornecido subsídios aos serviços de saúde do município de Ituverava para ampliar e intensificar as políticas e ações de saúde direcionadas para atenção pré-natal, ao parto e ao recém-nascido; capacitar os profissionais de saúde e aumentar e facilitar o acesso à terapia intensiva neonatal.


Palavras-chave


mortalidade; mortalidade infantil; coeficiente de mortalidade infantil

Texto completo:

PDF

Referências


Lansky S, Franca E, Perpétuo IH, Ishitani I. A mortalidade infantil: tendências da mortalidade neonatal e pós-neonatal .in 20 anos do SUS - Ministério da Saúde, 2009 (no prelo).

Frias PG, Pereira PMH, Giugliani ERJ. Políticas de Saúde direcionadas às crianças brasileiras: breve histórico com enfoque na oferta de serviços a partir de traçadores. In: Brasil. Ministério da Saúde. Saúde Brasil 2008. Brasília: Ministério da Saúde; 2009.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas. Saúde da Criança e Aleitamento Materno. Brasília: Editora do Ministério da Saúde; 2009.

Fundação SEADE. Anuário Estatístico de São Paulo. São Paulo: SEADE; 2008.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. DATASUS. Informações de Saúde (TABNET): demográficas e socioeconômicas [Internet]. Disponível em: http://www2.datasus.gov.br/DATASUS/index.php?area=0206.

Ortiz LP. Sistema de avaliação das condições de saúde infantil. Uma proposta para discussão. São Paulo: Fundação SEADE; 1988. (Conjuntura Demográfica).

Ortiz LP. Agrupamento das causas evitáveis de morte dos menores de um ano segundo critério de evitabilidade das doenças. São Paulo: Fundação SEADE; 2000.

Gomes JO, Santo AH. Mortalidade infantil em município da região centro-oeste paulista, Brasil, 1990 a 1992. Rev Saúde Pública. 1997;31:330-41.

Telarolli Jr R. Mortalidade infantil: uma questão de saúde pública. São Paulo: Moderna; 1997. 127 p.

Poles K, Parada CMGL. Mortalidade infantil no município do interior do estado de São Paulo. Rev Lat.-Am Enferm. 2000;8(5):109-12.

Paim JS, Costa MCN. Decréscimo e desigualdade da mortalidade infantil: Salvador, 1980-1988. Bol Oficina Sanit Panam. 1993;114:415-28.

Sherman AJ. Mortalidade infantil e sobrevida de crianças na Bahia, Brasil: uma revisão da literatura sócio-epidemiológica. Rev Saúde Pública. 1989;16:15-29.

Barbieri MA, Zucoloto S, Gomes VA, Gurgel RQ, Cipolotti R, Kajwiara JK, Oba LH, Silva OJMF, Wen LI. Estudo do comportamento das taxas de mortalidade fetal, perinatal e neonatal em um hospital universitário. J Pediatr. 1988;64:205-10.

Silveira DS, Dias da Costa JS, Santos IS. Atenção pré-natal na rede básica: uma avaliação da estrutura e do processo. Cad Saúde Pública. 2001;17(1):131-9.

Barros FC, Victora CG, Vaughan JP. Causas de mortalidade perinatal em Pelotas, RS (Brasil): utilização de uma classificação simplificada. Rev Saúde Pública. 1987;21:310-6.

Organização Mundial de Saúde. Assistência ao parto normal: um guia prático. Genebra: OMS; 1996.

Martins-Costa SH, Ramos JGL, Brietzke E. Assistência ao trabalho de parto. Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia. Projeto Diretrizes [Internet]. Brasília: AMB; CFM; 2001. Disponível em: http://www.projetodiretrizes.org.br/projeto_diretrizes/093.pdf.

Duarte JLMB, Mendonça GAS. Comparação da mortalidade neonatal em recém-nascidos de muito baixo peso ao nascimento, em maternidades do município do Rio de Janeiro, Brasil. Cad Saúde Pública. 2005;21(5):1141-7.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.