Perspectivas terapêuticas da fisioterapia em relação à dor lombar

Francisco Eudison da Silva Maia, Fabio Firmino de Albuquerque Gurgel, João Carlos Lopes Bezerra, Cleber Mahlmann Viana Bezerra

Resumo


A crescente incidência de lombalgias apresenta-se como problema de saúde pública, gerando transtornos de ordem física, econômica e psicossocial. Este acometimento apresenta correlação com as formas e a execução das ações laborais, como a permanência em posturas estáticas por períodos prolongados e/ou por repetição de movimentos com estresse mecânico e consequente prejuízo metabólico sobre as estruturas componentes da coluna lombar. Assim, este estudo se propôs a abordar a etiologia relacionada aos fatores mecânicos e biológicos envolvidos com a lombalgia, contribuindo com o enriquecimento da discussão de propostas terapêuticas intervencionistas que favoreçam a redução ou remissão da incidência de dores lombares. Para tanto foi realizada uma revisão de literatura cuja fundamentação ocorreu através de consultas em publicações no período de 2000 a 2012 em livros de ortopedia, osteopatia e reumatologia bem como periódicos e bases de dados como Lilacs, Bireme e Scielo, a partir dos descritores: lombalgia, fisioterapia e saúde. Foi possível constatar que o conhecimento sobre a etiologia da lombalgia é importante para a formulação de uma estratégia terapêutica efetiva. A base para a estratégia terapêutica deve ser composta pela avaliação do indivíduo, das ações laborais e do ambiente no qual este as executa. O fisioterapeuta dispõe de um vasto e eficaz arsenal terapêutico para o exercício de suas intervenções. O sucesso do tratamento depende da seleção e/ou combinação das técnicas que melhor assistam às necessidades dos pacientes portadores de lombalgias. Desta forma, a fisioterapia se apresenta como ferramenta imprescindível na promoção à saúde e melhoria da qualidade de vida.


Palavras-chave


dor lombar; modalidades de fisioterapia; fisioterapia; saúde

Texto completo:

PDF

Referências


Ricard F. Tratamento osteopático das lombalgias e ciáticas. Rio de Janeiro: Atlântica; 2006. 390 p.

Dziedzinski AT, Johnston C, Zardo E, Serdeira A. Perfil epidemiológico dos pacientes com dor lombar que procuram o Serviço de Traumatologia e Ortopedia do HSL-PUC-RS. Ter Man. 2005;3(12);453-8.

Brazil AV, Ximenes AC, Radu AS, Fernades AR, Appel C, Maçaneiro CH, et al. Diagnóstico e tratamento das lombalgias e lombociatalgia. Rev Bras Reumatol. 2004;44(6):419-25.

Putukian M. O papel do médico de atendimento primário, do técnico e do atleta na reabilitação. In: Canavan PK. Reabilitação em medicina esportiva. São Paulo: Manole; 2001. p. 49-50.

Dutton M. Fisioterapia ortopédica: exame, avaliação e intervenção. Porto Alegre: Artmed; 2006.

Chaitow L. Osteopatia, manipulação e estrutura do corpo. 2ª ed. São Paulo: Summus; 2004. 111 p.

Almeida ICGB, Sá KN, Silva M, Baptista A, Matos MA, Lessa I. Prevalência de dor lombar crônica na população da cidade de Salvador. Rev Bras Ortop. 2008;43(3):96-102.

Pereira NT. Efetividade de exercícios de estabilização segmentar sobre a dor lombar crônica mecânico-postural. Fisioter Mov. 2010;23(04):605-14.

Sakamoto ACL, Nicácio AS, Silva LA, Victória Júnior RC, Andrade ILL, Nascimento LR. Efeito dos exercícios de estabilização na intensidade da dor e no desempenho funcional de indivíduos com lombalgia crônica. Consc Saúde. 2009;8(4):615-9.

Cox JM. Biomecânica da coluna lombar. In: Cox JM. Dor Lombar. São Paulo: Manole; 2002.

Santos JPM, Freitas GFP. Métodos de treinamento da estabilização central. Semina Ciênc Biol Saúde. 2010;31(1):93- 101.

Makofsky HW. Coluna vertebral: terapia manual. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2006. 344 p.

Ricard F, Sallé JL. Tratado de osteopatia. São Paulo: Robe; 2002. 322 p.

Le Corre F, Rageot E. Atlas prático de osteopatia. Porto Alegre: Artmed; 2004. 247 p.

Whiting WC, Zernicke RF. Biomecânica da lesão musculoesquelética. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2001. 251 p.

Siqueira GR, Silva GAP. Alterações posturais da coluna e instabilidade lombar no indivíduo obeso: uma revisão de literatura. Fisioter Mov. 2011;24(3):557-66.

Tonella RM, Araújo S, Silva AMO. Estimulação elétrica nervosa transcutânea no alívio da dor pós- operatória relacionada com procedimentos fisioterapêuticos em pacientes submetidos a intervenções cirúrgicas abdominais. Rev Bras Anestesiol. 2006;56(6):630-42.

Melo PG, Molinero PVR, Dias RO, Mattei K. Estimulação elétrica nervosa transcutânea (TENS) no pós-operatório de cesariana. Rev Bras Fisioter. 2006;10(2):219-24.

Moura CV, Resende MC, Sampaio LR. Recursos fisioterapêuticos no controle da dor oncológica: revisão de literatura. Rev Bras Cancerol. 2005;51(4):339-46.

Klaumann PR, Wouk AFPF, Silas T. Patologia da dor. Arch Vet Sci. 2008;13(1):1-12.

Florentino DM, Sousa FRA, Maiworn AI, Carvalho ACA, Silva KM. A Fisioterapia no alívio da dor: uma visão reabilitadora em cuidados paliativos. Rev Hosp Univ Pedro Ernesto. 2012;11(2):1.

Vale NB. Analgesia adjuvante e alternativa. Rev Bras Anestesiol. 2006;56(5):530-55.

Kisner C, Colby LA. A coluna: intervenção com exercícios para pescoço e tronco. In: Kisner C, Colby LA. Exercícios terapêuticos. 4ª ed. Barueri: Manole; 2005.

Lariccia PJ, Galantino ML. Teorias da acupuntura e abordagens terapêuticas semelhantes aplicadas em Fisioterapia. In: Davis CM. Fisioterapia e reabilitação: terapias complementares. 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2006. p. 355-68.

Anderson B. Reabilitação com Pilates. In: Davis CM. Fisioterapia e reabilitação: terapias complementares. 2ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2006. p. 257-69.

Kolyniak IEG, Cavalcanti SMB, Aoki MS. Avaliação isocinética da musculatura envolvida na flexão e extensão do tronco: efeito do Método Pilates. Rev Bras Med Esport. 2004;10(6):487-90.

Teodori RM, Moreno MA, Fiore Júnior J, Oliveira ACS. Alongamento da musculatura inspiratória por intermédio da reeducação postural global (RPG) Rev. Bras Fisioter. 2003;7(1):25-30.

Maia FES, Medeiros EC, Carvalho RRP, Pinto AGKO, Moura ELR, Silva AL et al. O alongamento estático manual da musculatura envolvida na inspiração pode promover benefícios para os volumes inspiratórios? Ter Man. 2013;11(53):415-20.

Campion MR. Hidroterapia: princípios e prática. São Paulo: Manole; 2000. 334 p.

Kuchera ML. Osteopathic manipulative medicine considerations in patients with chronic pain. J Am Osteopath Assoc. 2005;105(9 suppl 4):S29-36.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.