Análise da eficácia do tratamento pelo método de Ponseti no pé torto congênito idiopático

Luiz Agliberto Cury, Marina Itapema de Castro Monteiro, Raquel Ferreira Sampaio, Giuliana Yukari Seo

Resumo


Objetivos: o pé torto congênito idiopático (PTC) é uma deformidade complexa que acomete mundialmente mais de 100.000 crianças por ano. O tratamento deve ser iniciado de forma precoce, nos primeiros 15 dias de vida. Dentre as opções terapêuticas, atualmente, a técnica clínica de eleição é a de Ponseti. A maior parte das recidivas ocorre por má adesão ao tratamento. Este estudo visa analisar a eficácia da correção do pé torto congênito idiopático pelo método de Ponseti, a importância do uso correto da órtese de abdução e sua relação com a recidiva no nosso serviço. Métodos: análise realizada em 92 pacientes com PTC idiopático atendidos no Ambulatório de Pé e Tornozelo de 2005 a 2014 no nosso serviço. Os resultados foram classificados como satisfatórios ou insatisfatórios. Foram consideradas deformidades residuais, flexibilidade e necessidade de cirurgia complementar. Com relação ao uso da órtese, os pacientes foram divididos em três categorias: uso correto da órtese, não a usaram e uso irregular da mesma. Resultados: os pacientes utilizaram em média nove gessos. Do total de 92 participantes, 87 foram submetidos à tenotomia do tendão do calcâneo. Obtivemos 71 resultados satisfatórios (77,17%) e 21 (22,82%) insatisfatórios. Dentre os 56 que usaram a órtese corretamente, 94,6% foram satisfatórios e 5,4 % insatisfatórios. Já os que não usaram a órtese, um apresentou resultado satisfatório (11,1%) e oito (88,9%) apresentaram resultados insatisfatórios. Quanto ao uso irregular da órtese, 63% foram satisfatórios e 37% insatisfatórios. Em pacientes que usaram adequadamente a órtese, o índice de recidiva foi de 14,3%; dos que não usaram a órtese, 77,8%; e dos que usaram irregularmente a órtese, 55,5%. Conclusão: a utilização da órtese de abdução de forma correta é essencial para o resultado satisfatório da correção do PTC idiopático pela técnica de Ponseti, assim como para minimização das recidivas desta patologia.


Palavras-chave


pé torto; anormalidades congênitas; deformidades congênitas do pé; aparelhos ortopédicos, órtese de abdução

Texto completo:

PDF

Referências


Nogueira MP. Difusão do Método Ponseti para tratamento do pé torto no Brasil: o caminho para a adoção de uma tecnologia [tese]. São Paulo: Faculdade de Saúde Pública; 2011 [acesso em 07 jan. 2014]. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6132/tde-05042011-142326/.

Maranho DAC, Volpon JB. Pé torto congênito. Acta Ortop Bras. 2011;19(3):163-9.

Ponseti I, Morcuende JÁ, Pirani S, Dietz F, Mosca V, Herzenberg J. Pé torto: tratamento pelo Método de Ponseti. Global-HELP: Global-HELP; 2005 [acesso em 07 jan. 2014]. Disponível em: http://global-help.org/publications/books/help_cfponsetiportuguese.pdf.

Pirani S, Naddumba E. Ponseti clubfoot management: teaching manual for health-care providers in Uganda. Iowa: Global-HELP Organization; 2008 [acesso em 07 jan. 2104]. Disponível em: http://www.global-help.org/publications/books/help_ponsetiuganda.pdf.

Lara LCR, Montesi Neto DJC, Prado FR, Barreto AP. Tratamento do pé torto congênito idiopático pelo método de Ponseti: 10 anos de experiência. Rev Bras Ortop. 2013;48(4):362-7.

Crawford AH, Marxen JL, Osterfeld DL. The Cincinnati incision: a comprehensive approach for surgical procedures of the foot and ankle in childhood. J Bone Joint Surg Am.1982;64(9):1355-8.

Nogueira MP. Tratamento do pé torto congênito pelo método de Ponseti. In: Hospital Alemão Oswaldo Cruz. Como eu trato [Internet]. São Paulo: Hospital Alemão Oswaldo Cruz; [2014?] [acesso em 07 jan. 2014]. Disponível em:http://www.hospitalalemao.org.br/medicos/Pdf/ComoeutratoParte2.pdf.

Maranho DAC, Volpon JB. Uso de agulha de grosso calibre para secção percutânea do tendão calcâneo no pé torto congênito tratado pelo método de Ponseti. Rev Ortop Traumatol Ilus. 2013;4(2):44-52.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.