Avaliação do endométrio pela ultrassonografia transvaginal em pacientes na pós-menopausa com sangramento uterino e sua relação com a histopatologia

Alcides de Moura Campos Junior, Edson Alcoléa Filho, José Carlos Menegoci

Resumo


Objetivos: O sangramento uterino na pós-menopausa geralmente é o primeiro sinal de câncer do endométrio e ocorre em cerca de 5% das consultas ginecológicas. Neste trabalho avaliamos a utilização da ultrassonografia (USG), determinando a espessura do endométrio e sua relação com o resultado anatomopatológico, procurando restringir a necessidade da curetagem uterina (CTG), que é considerada “padrão ouro” no estudo das alterações endometriais. Material e Método: foi a medida de espessura do endométrio pela ultrassonografia transvaginal (UST) em 40 pacientes com sangramento uterino pós-menopausa submetidas depois à curetagem uterina. A seguir, essa espessura foi relacionada com os achados anatomo-patológicos. Resultados: as espessuras endometriais nos casos de atrofia, achados benignos e carcinoma foram: 3,57mm, 12,47mm e 31,13mm, respectivamente. Não houve nenhum caso de carcinoma com espessura endometrial menor que 10mm. Os resultados demonstram que 40% das curetagens realizadas poderiam ter sido evitadas se fosse adotado 5mm como valor máximo indicativo de benignidade. Conclusão: A UST é um excelente exame para decidir se pacientes com sangramento uterino na pós-menopausa devem submeter-se ou não à investigação endometrial. Pode-se afirmar também que uma espessura endometrial menor do que 5mm sugere excluir o câncer endometrial como causa desse sangramento.

Palavras-chave


endométrio; hemorragia uterina; pós-menopausa; ultrassonografia transvaginal; neoplasia do endométrio

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.