Trauma: estudo de necrópsias

Roberto Almeida Rêgo de Souza, Danilo Oliveira Nascimento, Hugo Henrique Ribeiro de Almeida, Fabíola Mafia Meira, Irany Santana Salomão, Carlos Vitório de Oliveira

Resumo


Objetivo: realizar um levantamento epidemiológico dos óbitos por trauma submetidos à necropsia. Métodos: foi realizado um estudo retrospectivo através da análise de 412 prontuários, referentes aos óbitos por trauma no ano de 2014, submetidos á necropsia no Instituto Médico Legal de Itabuna/BA, avaliando as seguintes variáveis: sexo, idade, estado civil, raça, escolaridade, atendimento pré-hospitalar, consequência da morte, tipo de trauma, mecanismo do trauma, topografia da lesão, causa da morte, dia, horário e cidade na qual ocorreu o fato. Os dados foram divididos em dois grupos: I trauma penetrante e II trauma contuso. Resultados: a grande maioria era do sexo masculino (93%), parda (95%), solteira (83%), com escolaridade até o fundamental I (42%), prevalecendo a faixa- etária entre 25 e 29 anos de idade (67%), tendo como consequência da morte o homicídio (62%). O tipo de trauma mais frequente foi o penetrante (61%), sendo o crânio a região do corpo mais afetada (65%). As hemorragias intracranianas foram as principais causas de morte (30,8%). Os ferimentos por projéteis de arma de fogo prevaleceram no grupo I e os acidentes automobilísticos no grupo II. Conclusão: a população mais acometida pelos óbitos por causas externas no município de Itabuna, Bahia, é constituída por jovens, pardos, solteiros, do sexo masculino.

Palavras-chave


ferimentos e lesões; causas de morte; autopsia; homicídio; acidentes de trânsito

Texto completo:

PDF

Referências


Gonsaga RAT, Rimoli CF, Pires EA, Zogheib FS, Fujino MVT, Cunha MB. Avaliação da mortalidade por causas externas. Rev Col Bras Cir. 2012;39(4):263-7.

Caixeta CR, Minamisava R, Oliveira LMAC, Brasil VV. Morbidade por acidentes de transporte entre jovens de Goiânia, Goiás. Ciênc Saúde Coletiva. 2010;15(4):2075-84.

Fraga GP, Heinzl LR, Longhi BS, Silva DC, Fernandes-Neto FA, Mantovani M. Trauma cardíaco: estudo de necropsias. Rev Col Bras Cir. 2004;31(6):386-90.

DATASUS. Óbitos por causas externas: Bahia. Óbitos por residência segundo município: período 2012. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2012.

Santos AAP. Diagnóstico da violência e criminalidade em Itabuna-BA. Itabuna: Instituto PROSEM; 2012.

Martin BT, Fallon WF Jr, Palmieri PA, Tomas ER, Breedlove L. Autopsy data in the peer review process improves outcomes analysis. J Trauma. 2007;62(1):69-73.

Fares AF, Fares J, Fares GF, Cordeiro JA, Nakazone MA, Cury PM. Discrepâncias clínico-patológicas e achados cardiovasculares em 409 autópsias consecutivas. Arq Bras Cardiol. 2011;97(6):449-53.

Marx WH, Simon HM, Jumbelic M, Sposato E, Nieman G. Severity of injury is underestimated in the absence of autopsy verification. J Trauma. 2004;57(1):46-9.

Wilson JL, Herbella FAM, Takassi GF, Moreno DG, Tineli AC. Lesões fatais em trauma numa grande metrópole brasileira: um estudo de autopsias. Rev Col Bras Cir. 2011; 38(2):122-6.

Sharma BR, Gupta M, Harish D, Singh VP. Missed diagnoses in trauma patients vis-à-vis significance of autopsy. Injury. 2005;36(8):976-83.

Facó MM, Nukumizu LA, Moraes AJP, Barros PCB, Troster EJ, Silva CAA. Avaliação dos óbitos e necropsias em pacientes internados em um Serviço de Reumatologia Pediátrica por um período de dez anos. Rev Bras Reumatol. 2005;45(2):55-63.

Gruen RL, Jurkovich GJ, McIntyre LK, Foy HM, Maier RV. Patterns of errors contributing to trauma mortality: lessons learned from 2,594 deaths. Ann Surg. 2006;244(3):371-80.

Kipsaina C, Ozanne-Smith J, Bartolomeos K, Routley V. Mortuary based injury surveillance for low-mid income countries: process evaluation of pilot studies. Injury. 2015;46:1509-14.

Santos FBO, Carvalho LW. Análise da morbimortalidade de vítimas de acidentesde trânsito: uma revisão. Rev Enferm UFSM. 2013;1:53-9.

Søreide K, Krüger AJ, Várdal AL, Ellingsen CL, Søreide E, Lossius HM. Epidemiology and contemporary patterns of trauma deaths: changing place, similar pace, older face. World J Surg. 2007;31(11):2092-103.

Velmahos GC, Degiannis E, Souter I, Saadia R. Penetrating trauma to the heart: a relatively innocent injury. Surgery. 1994;115(6):694-7.

Durham LA, Richardson RJ, Wall MJ, Pepe PE, Mattox KL. Emergency center thoracotomy: impact of prehospital resuscitation. J Trauma. 1992;32(6):775-9.

Costa FAMM, Trindade RFC, Santos CB. Mortes por homicídios: série histórica. Rev Latino-Am Enfermagem. 2014;22(6):1017-25.2


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.