Depressão puerperal: a relevância dada pela equipe multiprofissional de saúde e a percepção das usuárias

Lucas Bondezan Alvares, Gisele Regina de Azevedo, Luiz Ferraz de Sampaio Neto

Resumo


Objetivo: o presente trabalho teve como objetivo investigar como se faz a inserção da discussão sobre a Depressão Puerperal (DP) nas Unidades Básicas de Saúde em um município do interior de São Paulo, assim como buscar e analisar a relevância que os atores da equipe multidisciplinar de saúde atribuem ao tema. Método: trata-se de uma pesquisa de análise qualitativa que se baseou em uma etapa inicial em que procuramos estabelecer a situação do problema através de aplicação de questionário semiestruturado aplicado aos profissionais de saúde e puérperas, visando o diagnóstico e o levantamento da realidade. Resultados: os resultados demonstraram não haver no município atenção específica à DP, assim como ficou clara a ausência de espaços dedicados a outros assuntos que não fossem apenas os aspectos técnicos da atenção obstétrica e odontológica à gestante. A partir dessa realidade foi possível oferecer ação de Educação Continuada e avaliação posterior para identificar o impacto da mesma. Conclusão: concluímos a necessidade de investimento nos espaços educativos de atenção à gestante com caráter de informação, mas também de momento dedicado às gestantes para tirarem suas dúvidas e falarem sobre suas emoções e sentimentos.


Palavras-chave


depressão pós-parto, educação em saúde, cuidado pré-natal

Texto completo:

PDF

Referências


Santos Júnior HPO, Silveira MFA, Gualda DMR. Depressão pós-parto: um problema latente. Rev Gaúcha Enferm. 2009; 30(3):516-24.

Brasil. Ministério da Saúde. Parto, aborto e puerpério: assistência humanizada à mulher. Brasília: MS/FEBRASGO/ABENFO; 2001.

Borsa JC. Considerações acerca da relação mãe-bebê da gestação ao puerpério. Contemp Psicanál Transdiscipl. 2007;(2):310-21.

Armony-Sivan R, Shao J, Li M, Zhao G, Zhao Z, Xu G, et al. No relationship between maternal iron status and postpartum depression in two samples in China. J Pregnancy. 2012;2012:521431.

Vigod SN, Villegas L, Dennis CL, Ross LE. Prevalence and risk factors for postpartum depression among women with preterm and low-birth-weight infants: a systematic review. BJOG. 2010;117:540-50.

Boyd RC, Mogul M, Newman D, Coyne JC. Screening and referral for postpartum depression among low-income women: a qualitative perspective from community health workers. Depress Res Treat. 2011;2011:320605.

Moraes IGS, Pinheiro RT, Silva RA, Horta BL, Sousa PLR, Faria AD. Prevalência da depressão pós-parto e fatores associados. Rev Saúde Pública. 2006;40(1):65-70.

Susman JL. Postpartum depressive disorders. J Fam Pract. 1996;43(6):S17-24.

Botega NJ, Dias MK. Psicopatologia puerperal. In: Neme B. Obstetrícia básica. SãoPaulo: Sarvier; 2006. Cap. 98: Psicopatologia puerperal, p. 803-6.

Cucchiaro G, Mariano EC, Botega NJ. Psicose puerperal: revisão e casos clínicos. J Bras Ginecol. 1993; 103:347-52.

Silva VA, Moraes-Santos AR, Carvalho MS, Martins MLP, Teixeira NA. Prenatal and postnatal depression among low income Brazilian women. Braz J Med Biol Res. 1998;31(6):799-804

Zinga D, Phillips SD, Born L. Depressão pós-parto: sabemos os riscos, mas podemos preveni-la? Rev Bras Psiquiatr. 2005;27(suppl 2):S56-S64.

Schwengber DDS, Piccinini CA. O impacto da depressão pós-parto para a interação mãe-bebê. Est Psicol. 2003;8:403-11.

Schmidt EB; Piccoloto N, Müller M. Depressão pós-parto: fatores de risco e repercussões no desenvolvimento infantil. Psico USF. 2005;10(1):61-8.

Schardosim JM, Heldt E. Escalas de rastreamento para depressão pós-parto: uma revisão sistemática. Rev Gaúcha Enferm. 2011;32(1):159-66.

Silva MCF, Furegato ARF, Costa Jr ML. Depression: viewpoints and knowledge of nurses from the basic health network. Rev Latino-Am Enfermagem. 2003;11(1):7-13.

Dotto LMG, Moulin NM, Mamede MV. Prenatal care: difficulties experienced by nurses. Rev Latino-Am Enfermagem. 2006;14(5):34-40.

Falcone VM, Mader CVN, Nascimento CF, Santos JM, Nóbrga FJ. Atuação multiprofissional ea saúde mental de gestantes. Rev Saúde Pública. 2005;39(4):612-8.

Valença CN, Germano RM. Prevenindo a depressão puerperal na estratégia de saúde da família: ações do enfermeiro no pré-natal. Rev RENE. 2010;11(2):129-39.

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

Caregnato RCA, Mutti R. Pesquisa qualitativa: análise de discurso versus análise de conteúdo. Texto Contexto Enferm. 2006;15(4):679-84.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec, 2007.

Menezes FL, Pellenz NLK, Lima SS, Sarturi F. Depressão puerperal no âmbito da saúde pública. Saúde (Santa Maria). 2012;38(1):21-30.

Albuquerque PCE, Slotz EM. A educação popular na atenção básica à saúde no município: em busca da integralidade. Interface Comunic Saúde Educ. 2004;8(15):259-74.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.