Percepção das puérperas em relação ao atendimento recebido na unidade básica de saúde durante a consulta de pré-natal

Marcela Mika Kawatsu, Érica Cardoso Moncayo, Melissa Amanda Lourenço, Ruth Bernarda Riveros Jeneral

Resumo


Introdução: A finalidade da assistência pré-natal é garantir o desenvolvimento da gestação, possibilitando o parto de um recém-nascido sadio, sem complicações para a saúde materna. Objetivo: Identificar e divulgar a percepção das puérperas que realizaram o pré-natal nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) da região Oeste do município de Sorocaba frente às consultas de pré-natal vivenciadas. Método: Estudo descritivo, exploratório, de abordagem qualitativa. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista oral, gravada, orientada por uma questão norteadora. Os depoimentos foram organizados segundo o Discurso do Sujeito Coletivo (DSC), analisados e interpretados por meio da análise de conteúdo, modalidade temática. Resultados: Os resultados apontaram que a maioria das entrevistadas relatou assistência de qualidade durante as consultas de pré-natal, totalizando o surgimento de nove Ideias Centrais (IC). Conclusão: A assistência adequada durante as consultas de pré-natal é fundamental para o cumprimento dos princípios norteados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) que envolvem promoção, prevenção, recuperação e reabilitação da saúde.


Palavras-chave


cuidado pré-natal; período pós-parto; percepção; saúde da mulher; centros de saúde

Texto completo:

PDF

Referências


Vieira SM, Bock LF, Zocche DA, Pessota CU. Percepção das puérperas sobre a assistência prestada pela equipe de saúde no pré-natal. Texto Contexto Enferm. 2011;20(n. esp.):255-62. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072011000500032

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher. Princípios e Diretrizes. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

Marques RG, Prado SRLA. Consulta de enfermagem no pré-natal. Rev Enferm UNISA. 2004;5:33-6.

São Paulo (Governo do Estado). Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Manual técnico do pré-natal e puerpério: atenção a gestante e a puérpera no SUS-SP. São Paulo: Secretaria de Estado da Saúde; 2010.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Atenção ao pré-natal de baixo risco. Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

Araújo SM, Silva MED, Moraes RC, Alves DS. A importância do pré-natal e a assistência de enfermagem. Veredas. 2010;3(2):61-7.

Ceron MI, Barbieri A, Fonseca LM, Fedosse E. Assistência pré-natal na percepção de puérperas provenientes de diferentes serviços de Saúde. Rev CEFAC. 2013;15(3):653-62. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1516-18462012005000081

Lefévre F, Lefévre AMC, Teixeira JJV. O Discurso do Sujeito Coletivo: uma nova abordagem metodológica em pesquisa qualitativa. Caxias do Sul: EDUCS; 2000.

Lefévre F, Lefévre F. O Discurso do Sujeito Coletivo: um novo enfoque em pesquisa qualitativa (desdobramentos). Caxias do Sul: EDUCS; 2005.

Castro ME, Moura MAV, Silva LMS. Qualidade da assistência pré-natal: uma perspectiva das puérperas egressas. Rev Rene. 2010;11:72-81.

Afonso JA, Afonso KKA, Jones KM. Percepção das gestantes frente ao pré-natal prestado pelo enfermeiro. Rev Bras Pesq Ciênc Saúde. 2015;2(1):22-6.

Sousa AJCQ, Mendonça AEO, Torres GV. Atuação do enfermeiro no pré-natal de baixo risco em uma unidade básica de saúde. Carpe Diem. 2012;10(1):1-15.

Duarte SJH, Andrade SMO. O significado do pré-natal para mulheres grávidas: uma experiência no município de Campo Grande, Brasil. Saúde Soc. 2008;17(2):132-9. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902008000200013

Brasil. Ministério da Saúde. Guia prático do Programa Saúde da Família. Brasília: Ministério da Saúde; 2001. 67 p.

Santos DS, Andrade ALA, Lima BSS, Silva YN. Sala de espera para gestantes: uma Estratégia de Educação em Saúde. Rev Bras Educ Med. 2012;36(1 Supl. 2):62-7. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022012000300010

Silvestrini MS, Cardoso MLM, Rego BR. Desafios na construção de um grupo de gestantes na Unidade de Saúde da Família. Cad Ter Ocup UFSCar. 2014;22(3):603-7. doi: https://doi.org/10.4322/cto.2014.082

Rios CTF, Vieira NFC. Ações educativas no pré-natal: reflexão sobre a consulta de enfermagem como um espaço para educação em saúde. Ciênc Saúde Coletiva. 2007;12(2):477-86. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232007000200024

Buchabqui JA, Capp E, Ferreira J. Adequação dos encaminhamentos de gestações de alto-risco na Rede Básica de Atenção à Saúde de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Rev Bras Saúde Matern. 2006;6(1):23-9. http://dx.doi.org/10.1590/S1519-38292006000100003

Oliveira CB, Ramos MC. O grau de satisfação da usuária gestante na assistência pré-natal nas unidades de saúde da família no município de Vitória. Cad Saúde Coletiva. 2007;15(2):241-56.

Barreto CN, Wilhelm LA, Silva SC, Alves CN, Cremonese L, Ressel LB. O Sistema Único de Saúde que dá certo: ações de humanização no pré-natal. Rev Gaúcha Enferm. 2015;36(esp):168-76. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2015.esp.56769

Moreira MA, Carvalho LL, Ribeiro OS. Percepção de gestantes sobre a atuação da enfermeira na assistência pré-natal: estudo analítico. Arq Ciênc Saúde. 2016;23(1):78-82. DOI: https://doi.org/10.17696/2318-3691.23.1.2016.217

Barbosa TLA, Gomes LMX, Dias OV. O pré-natal realizado pelo enfermeiro: a satisfação das gestantes. Cogitare Enferm. 2011;16(1):29-35. DOI: https://doi.org/10.5380/ce.v16i1.21108




DOI: https://doi.org/10.23925/10.23925/1984-4840.2019v21i4a6

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.