Profilaxia das lesões por pressão: um olhar sobre a responsabilização da equipe de enfermagem

Aline Aparecida de Souza Leão, Marcela Flores da Silva, Leni Boghossiam Lanza

Resumo


Introdução: A segurança do paciente é um tema importante que deve ser sempre preocupação dos profissionais de saúde e uma das metas da prestação do cuidado. A prevenção das lesões por pressão (LPP) é considerada item imprescindível nesse contexto. Sendo assim, a profilaxia das LPP é compromisso ético e legal da equipe enfermagem. Método: Trata-se de estudo exploratório, descritivo e de modalidade qualiquantitativa. Foi realizado em duas instituições hospitalares, uma pública e outra privada, com 34 profissionais de enfermagem dos períodos noturno e diurno das clínicas médica e cirúrgica de ambas e da unidade de terapia intensiva. Utilizaram-se formulários com duas partes: a primeira para caracterização dos participantes; a segunda com perguntas abertas e de múltipla escolha. As respostas das perguntas abertas foram organizadas tematicamente, e os dados sociodemográficos e as respostas às perguntas de múltipla escolha foram organizados segundo a frequência. Resultados: Cerca de 45% dos técnicos e 50% dos auxiliares de enfermagem apresentam carência no conhecimento das LPP, reafirmando as noções limitadas sobre o Programa Nacional de Segurança do Paciente. Todos os enfermeiros, 73,33% dos técnicos e 37,5% dos auxiliares de enfermagem reconheceram que nem todas as medidas profiláticas são úteis nas situações de risco para as lesões, evidenciando o pouco comprometimento da equipe na aplicação integral dessas medidas. Considerações finais: A educação permanente em saúde é o meio mais eficaz a ser desenvolvido pela equipe de enfermagem, estimulando atuação crítica, reflexiva, propositiva, compromissada e tecnicamente eficiente, o que auxilia na efetivação das medidas de segurança do paciente.


Palavras-chave


lesão por pressão; segurança do paciente; equipe de enfermagem

Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Ministério da Saúde. Fundação Oswaldo Cruz. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Documento de referência para o Programa Nacional de Segurança do Paciente. Brasília: Ministério da Saúde; 2014.

Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Nota Técnica GVIMS/GGTES/ANVISA nº 01/2015: orientações gerais para a notificação de eventos adversos relacionados à assistência à saúde [Internet]. 2015 [acesso em 20 jan. 2018]. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/documents/33852/271858/Nota+t%C3%A9cnica+N%C2%BA+01+de+2015+-GVIMS-GGTES-ANVISA/b98ec033-1676-4443-9603-24a4edae1505

Miyazaki MY, Caliri MHL, Santos CB. Conhecimento dos profissionais de enfermagem sobre prevenção da úlcera por pressão. Rev Latino-Am Enfermagem [Internet]. 2010 [acesso em 20 jan. 2018];18(6). Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v18n6/pt_22

Dias SRS, Silva ACA, Silva JF, Santos LRO, Avelino FVSD. Boas práticas para a segurança do paciente: revisão integrativa. In: 17º Congresso Brasileiro dos Conselhos de Enfermagem [anais]. Belém: COFEN; 2014.

Costa LJS, Lopes CKG, Neves MM, Trindade RJPM, Sousa AAS. Papel da enfermagem no gerenciamento da segurança do paciente. In: 15º Congresso Brasileiro dos Conselhos de Enfermagem [anais]. Fortaleza: COFEN; 2012.

Conselho Regional de Enfermagem do Estado de São Paulo. 10 passos para a segurança do paciente. São Paulo: COREN-SP; 2010.

Fernandes LM, Caliri MHL, Haas VJ. Efeito de intervenções educativas no conhecimento dos profissionais de enfermagem sobre prevenção de úlceras de pressão. Acta Paul Enferm. 2008;21(2):305-11. doi:http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002008000200012

Alves AR, Belaz K, Rodrigues RM, Ribeiro SMT, Kato TTM, Medina NVJ. A importância da assistência de enfermagem na prevenção da úlcera por pressão no paciente hospitalizado. Rev Inst Ciênc Saúde. 2008;26(4):397-402.

Rogenski NMB, Kurcgant P. Incidência de úlceras por pressão após a implementação de um protocolo de prevenção. Rev Latino-Am Enfermagem. 2012;20(2). doi: https://doi.org/10.1590/S0104-11692012000200016

Conselho Federal de Enfermagem. Resolução nº 311, de 8 de fevereiro de 2007. Dispõe sobre o Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem. Rio de Janeiro: COFEN; 2007.

Vivacqua SA. Prevenção e tratamento de úlceras por pressão: um estudo avaliativo do cuidado de enfermagem [dissertação]. Rio de Janeiro: Fundação Cesgranrio; 2011.

Crozeta K, Roehrs H, Stocco JGD, Meier J. Gestão de risco de úlceras por pressão: um compromisso ético-legal do enfermeiro [monografia]. Curitiba: Universidade Federal do Paraná; 2011.

Günther H, Lopes Júnior J. Perguntas abertas versus perguntas fechadas: uma comparação empírica. Psicol Teor Pesq. 1990;6(2):203-13.

Mattos RM, Melo FBS, Araújo AKC, Gomes GMS, Vasconcelos LDS, Souza LDT. Educação em saúde aos trabalhadores de enfermagem e acompanhantes sobre prevenção e tratamento de lesões de pele em dois hospitais de Petrolina-PE. Interfaces. 2015;3(1):22-32.

Silva MF, Conceição FA, Leite MMJ. Educação continuada: um levantamento de necessidades da equipe de enfermagem. Mundo Saúde. 2008;32(1):47-55.

Olkoski E, Assis GM. Aplicação de medidas de prevenção para úlceras por pressão pela equipe de enfermagem antes e após uma campanha educativa. Esc Anna Nery. 2016;20(2):363-9. doi: http://dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20160050

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Gerência Geral de Tecnologia em Serviços de Saúde (GGTES). Boletim Segurança do Paciente e Qualidade em Serviços de Saúde nº 15: incidentes relacionados à assistência à saúde - 2016. Brasília: Anvisa; 2017.

Oliveira RM, Leitão IMTA, Silva LMS, Figueiredo SV, Sampaio RL, Gondim MM. Estratégias para promover segurança do paciente. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2014;18(1):122-9. doi: https://doi.org/10.5935/1414-8145.20140018

Araújo MAN, Lunardi Filho WD, Silveira RS, Souza JC, Barlem ELD, Teixeira NS. Segurança do paciente na visão de enfermeiros: uma questão multiprofissional. Enferm Foco. 2017;8(1):52-6. doi: https://doi.org/10.21675/2357-707X.2017.v8.n1.984

Bohomol E, Tartali JA. Eventos adversos em pacientes cirúrgicos: conhecimento dos profissionais de enfermagem. Acta Paul Enferm. 2013;26(4):376-81. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002013000400012

Wegner W, Silva SC, Kantorski KJC, Predebon CM, Sanches MO, Pedro ENR. Educação para cultura da segurança do paciente: Implicações para a formação profissional. Esc Anna Nery. 2016;20(3):e20160068. doi: https://doi.org/10.5935/1414-8145.20160068

Freitas GF, Oguiso T, Merighi MAB. Motivações do agir de enfermeiros nas ocorrências éticas de enfermagem. Acta Paul Enferm. 2006;19(1 Supl. 1):76-81. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002006000100012

Ascari RM, Veloso J, Silva OM, Kessler AM, Jacoby AM, Schwaab G. Úlcera por pressão: um desafio para a enfermagem. Braz J Surg Clin Res. 2014;6(1):11-6.

Galvão NS, Serique MAB, Santos VLCG, Nogueira PC. Conhecimentos da equipe de enfermagem sobre prevenção de úlceras por pressão. Rev Bras Enferm. 2017;70(2):294-300. doi: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2016-0063




DOI: https://doi.org/10.23925/1984-4840.2019v21i4a3

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.