Efeito modulador da Ritalina® (metilfenidato) sobre a ação carcinogênica da doxorrubicina em Drosophila melanogaster

Juliene César dos Santos, Samuel Campos Silva, Priscila Capelari Orsolin

Resumo


Introdução: A Ritalina® (metilfenidato) é um estimulante do sistema nervoso central, derivado da anfetamina. Ficou conhecida por seu uso em crianças e adultos diagnosticados com transtornos de déficit de atenção e hiperatividade, e alternativamente para tratamento de narcolepsia, obesidade e como estimulante para estudantes. Objetivo: Avaliar o efeito carcinogênico e/ou anticarcinogênico da Ritalina®. Método: Para tanto, larvas wts+/+mwh foram tratadas com o indutor tumoral doxorrubicina (0,4 mM) e com três diferentes concentrações de Ritalina® (100; 200 e 400 μM). Resultados: Mostraram que a Ritalina® apresentou atividade anticarcinogênica, visto que houve diferença estatisticamente significativa (p<0,05) nas frequências de tumores identificados com a presença da referida substância, quando comparadas à frequência de tumores no controle positivo isolado. Conclusão: Sendo assim, é possível inferir que, nas presentes condições experimentais, a Ritalina® apresentou efeito modulador sobre danos induzidos pela doxorrubicina, reduzindo a frequência de tumores em todas as concentrações testadas em células somáticas de Drosophila melanogaster.


Palavras-chave


metilfenidato; doxorrubicina; testes de carcinogenicidade; carcinogênese; neoplasias; Drosophila melanogaster

Texto completo:

PDF

Referências


Jorde LB, Carey JC, Bamshad MJ. Genética médica. 4ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2010.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Coordenação de Prevenção e Vigilância. A situação do câncer no Brasil. Rio de Janeiro: Instituto Nacional de Câncer; 2006.

Instituto Nacional de Câncer. Ações de enfermagem para o controle do câncer: uma proposta de integração ensino-serviço. Rio de Janeiro: Instituto Nacional de Câncer; 2008.

Junqueira LCU, Carneiro J. Biologia celular e molecular. 9ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2012. 364 p.

Instituto Nacional de Câncer. O que é câncer? [Internet]. Rio de Janeiro: Instituto Nacional de Câncer; 2018 [acessado em 1º ago. 2017]. Disponível em: https://www.inca.gov.br/o-que-e-cancer

Düsman E, Berti AP, Soares LC, Vicentini VEP. Principais agentes mutagênicos e carcinogênicos de exposição humana. SaBios Rev Saúde Biol. 2012;7(2):66-81.

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Consumo de medicamentos: um autocuidado perigoso? [Internet]. 2005 [acessado em 1º ago. 2017]. Disponível em: http://www.conselho.saude.gov.br/ultimas_noticias/2005/medicamentos.htm

Ritalina. Pegorer FR [bula de remédio]. Taboão da Serra: Novartis; 2013.

Ortega F, Barros D, Caliman L, Itaborahy C, Junqueira L, Ferreira CP. A ritalina no Brasil: produções, discursos e práticas. Interface Comun Educ Saúde. 2010;14(34):499-510. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832010005000003

Silva FB, Mascia AR, Lucchese AC, Marco MA, Martins MCFG, Martins LAN. Atitudes frente a fontes de tensão do curso médico: um estudo exploratório com alunos do segundo e do sexto ano. Rev Bras Educ Méd. 2009;33(2):230-9. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022009000200010

Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados. Prescrição e consumo de metilfenidato no Brasil [Internet]. 2012 [acessado em 1º ago. 2017];(2). Disponível em: http://www.anvisa.gov.br/sngpc/boletins/2012/boletim_sngpc_2_2012_corrigido_2.pdf

Miller BR. Concentration-dependent effects of d-methylphenidate on frontal cortex and spinal cord networks in vitro [thesis]. Texas: University of North Texas; 2004.

Adriblastina RD. Bumerad JC [bula de remédio]. Guarulhos: Pfizer; 2013.

Vasconcelos MA, Orsolin PC, Silva-Oliveira RG, Nepomuceno JC, Spanó MA. Assessment of the carcinogenic potential of high intense-sweeteners through the test for detection of epithelial tumor clones (warts) in Drosophila melanogaster. Food Chem Toxicol. 2017;101:1-7. https://doi.org/10.1016/j.fct.2016.12.028

Orsolin PC, Silva-Oliveira RG, Nepomuceno JC. Assessment of the mutagenic, recombinagenic and carcinogenic potential of orlistat in somatic cells of Drosophila melanogaster. Food Chem Toxicol. 2012;50(8):2598-604. https://doi.org/10.1016/j.fct.2012.05.008

Griffiths AF, Wessler SR, Carroll SB, Doebley J. Introdução à genética. 10ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2006.

Eeken JCJ, Klink I, Veen BL, Pastink A, Ferro W. Induction of epithelial tumors in Drosophila melanogaster heterozygous for the tumor suppressor gene wts. Environ Mol Mutagen. 2002:40(4):277-82. https://doi.org/10.1002/em.10119

Vasconcelos MA, Orsolin PC, Silva-Oliveira RG, Nepomuceno JC, Spanó MA. Assessment of the carcinogenic potential of high intense-sweeteners through the test for detection of epithelial tumor clones (warts) in Drosophila melanogaster. Food Chem Toxicol. 2017;101:1-7. https://doi.org/10.1016/j.fct.2016.12.028

Justice RW, Zilian O, Woods DF, Noll M, Bryant PJ. The Drosophila tumor suppressor gene warts encodes a homolog of human myotonic dystrophy kinase and is required for the control of cell shape and proliferation. Genes Dev. 1995;9(5):534-46. https://doi.org/10.1101/gad.9.5.534

Rocha HM, Delamaro MC. Abordagem metodológica na análise de dados de estudos não-paramétricos, com base em respostas em escalas ordinais. Gestão Prod Oper Sist. 2011;(3):77-91. https://doi.org/10.15675/gepros.v0i3.649

Almeida VL, Leitão A, Reina LCD, Montanari CA, Donnici CL, Lopes MTP. Câncer e agentes antineoplásicos ciclo-celular específicos e ciclo celular não específicos que interagem com o DNA: uma introdução. Quím Nova. 2005;28(1):118-129. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-40422005000100021

Alves EM, Nepomuceno JC. Avaliação do efeito anticarcinogênico do látex do avelós (Euphorbia tirucalli), por meio do teste para detecção de clones de tumor (warts) em Drosophila melanogaster. Perquirere. 2012;9(2):125-40.

El-Zein RA, Abdel-Rahman SZ, Hay MJ, Lopez MS, Bondy ML, Morris DL, et al. Cytogenetic effects in children treated with methylphenidate. Cancer Letter. 2005;230(2):284-91. https://doi.org/10.1016/j.canlet.2005.01.003

Tucker JD, Suter W, Petibone DM, Thomas RA, Bailey NL, Zhou Y, et al. Cytogenetic assessment of methylphenidate treatment in pediatric patients treated for attention deficit hyperactivity disorder. Mutat Res. 2009;677(1-2):53-8. https://doi.org/10.1016/j.mrgentox.2009.05.005

Morris SM, Dobrovolsky VN, Shaddock JG, Mittelstaedt RA, Bishop ME, Manjanatha MG, et al. The genetic toxicology of methylphenidate hydrochloride in nonhuman primates. Mutat Res. 2009;673(1):59-66. https://doi.org/10.1016/j.mrgentox.2008.12.001

Walitza S, Werner B, Romanos M, Warnke A, Gerlach M, Stopper H. Does methylphenidate cause a cytogenetic effect in children with attention deficit hyperactivity disorder? Environ Health Perspect. 2007;115(6):936-40. https://doi.org/10.1289/ehp.9866

Suter W, Martus HJ, Elhahouti A. Methylphenidate is not clastogenic in cultured human lymphocytes and in the mouse bone-marrow micronucleus test. Mutat Res. 2006;607(2):153-9. https://doi.org/10.1016/j.mrgentox.2006.02.004

Dunnick JK, Hailey JR. Experimental studies on the long-term effects of methylphenidate hydrochloride. Toxicology. 1995;103(2):77-84. https://doi.org/10.1016/0300-483X(95)03109-S

Goldstein S. Chronic Ritalin use and cancer. J Attent Disord. 2010;13(5):441. https://doi.org/10.1177/1087054709356195




DOI: https://doi.org/10.23925/1984-4840.2018v20i4a5

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.