Recém-nascido com artéria umbilical única relato de caso e revisão da literatura

Thiago Poppes Santalla, Rafael Marques Franco, Cleber de Moraes Motta, Marina Wey, Luciana Maria de Andrade Ribeiro

Resumo


O cordão umbilical normalmente é composto por duas artérias e uma veia. A artéria umbilical única (AUU) foi inicialmente descrita por Vesalius, sendo considerada como uma curiosidade anatômica até 1955, quando Benirschke e Brown associaram esta alteração à elevada frequência de outras anomalias mais graves e, por vezes, fatais. Sua incidência oscila entre 0,04% e 1,15%. A AUU tem sido associada com alguns eventos perinatais, como restrição de crescimento intrauterino, prematuridade, malformações congênitas e mortalidade perinatal. Relata-se um caso de AUU diagnosticado na sala de parto, sem outras comorbidades associadas. Não havia menção de diagnóstico pré-natal. Um exame detalhado do cordão umbilical na sala de parto é sugerido, principalmente porque a AUU é um importante marcador associado a malformações congênitas. Recomenda-se o diagnóstico de AUU com ultrassonografia pré-natal precoce, para que as pacientes possam ter um seguimento adequado da gestação.

Palavras-chave


cordão umbilical; artérias umbilicais; ultrassonografia pré-natal; anormalidades congênitas; aberrações cromossômicas

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais



Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.