Possível relação entre polimetilmetacrilato e linfoma ósseo demonstrada pelo estudo de PET/CT com F18-FDG

Diovano Paust de Oliveira, Luiz Mario Bellegard, Afonso Carlos Sbardelini Alves, Mateus Guimarães Massimo, Vinícius Costa Patto dos Santos, Kelson Koiti Ogata, Victor Reis Guil

Resumo


Introdução: O linfoma primário ósseo é uma neoplasia rara cujo tipo histológico mais comum é o Linfoma Não Hodgkin Difuso de Grandes Células B. Atualmente encontra-se na literatura uma gama de artigos que relacionam este tipo histológico de Linfoma com processos inflamatórios crônicos como artrite reumatoide e sarcoidose. O polimetilmetacrilato (PMMA) é uma substância utilizada para preenchimento de face principalmente em pacientes com lipodistrofia secundária ao HIV, porém tem sido frequentemente utilizado para bioplastia dos glúteos. Apesar de ser considerado um material não absorvível, um estudo com retirada de tecidos submetidos previamente à injeção de PMMA constatou absorção pelo organismo e migração para outros tecidos. O uso dessa substância pode causar edemas locais, processos inflamatórios, telangiectasias, cicatrizes hipertróficas, reações alérgicas e formação de granuloma. Estas reações podem ser imediatas, mediatas ou tardias. Relataremos um caso de linfoma primário ósseo que pode estar relacionado ao processo inflamatório crônico provocado pela aplicação de PMMA nos glúteos. Relato de caso: Paciente sexo feminino, 39 anos, com histórico de administração glútea de PMMA há 10 anos, evolui com início de dor em quadril à esquerda há 1 ano, sendo então submetida à estudo de ressonância magnética em janeiro de 2017. O estudo demonstrou heterogeneidade da medular óssea com intenso realce dessas áreas ao meio de contraste, de aspecto indeterminado. O exame foi interpretado como sendo de baixa agressividade e a paciente permaneceu em seguimento clínico. Porém, devido à manutenção do quadro álgico, realizou cintilografia óssea que demonstrou acentuado aumento da atividade osteoblástica na bacia à esquerda, clavícula direita, corpo vertebral de C7 e de T12. Paciente foi então submetida a biópsia do ilíaco esquerdo, a qual demonstrou Neoplasia Linfoproliferativa de Células B com perfil imunohistoquímico não específico para determinação do subtipo histológico. Considerações Finais: Apesar de não haver uma comprovação definitiva da relação entre a administração de PMMA e o desenvolvimento de linfoma ósseo, existem fortes indícios que corroboram para esta hipótese. Estudos adicionais são necessários.

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.