Estudo comparativo entre análise objetiva e subjetiva em crianças pós-adenotonsilectomia

Godofredo Campos Borges, Jose Jarjura Jorge Júnior, Aleksi Gomes Antila, André Filipi Santos Sampaio

Resumo


Introdução: A adenotonsilectomia é uma das cirurgias mais realizada em crianças no mundo. Suas principais indicações incluem infecções aéreas de repetição e distúrbios respiratórios do sono. As tonsilas palatinas e adenóides são órgãos do tecido linfóide, responsáveis pela produção de anticorpos e defesa contra agentes nocivos. Ao nascimento, o tecido tem tamanho normal, mas entre 1 e 6 anos, cresce em tamanho, em razão da atividade imune. A hiperplasia crônica, contudo, limita sua função imune e pode até ter efeito contrário. A hiperplasia adenotonsilar cursa com sintomas clínicos variáveis, variando de alterações comportamentais ou pondero-estaturais a complicações cardiovasculares. Além disso, a hiperplasia é a principal causa de distúrbios do sono, que podem cursar com ronco e apneia obstrutiva do sono. A obstrução das vias aéreas, devido ao aumento das tonsilas, ocorre durante a fase inspiratória, logo o peak flow inspiratório é capaz de mensurar essa obstrução. A cirurgia melhora a qualidade de vida, por diminuir o número de infecções, de visitas aos hospitais e a necessidade de antibioticoterapia. Objetivos: Avaliar a interferência da cirurgia adenotonsilectomia na qualidade de vida dos pacientes, por meio da escala peak flow e do questionário OSA-18. O estudo tem como objetivo secundário promover uma comparação entre pré-operatório e três tempos de pós-operatório. Métodos: O tipo de estudo realizado é um Estudo de Coorte Longitudinal Prospectivo. Trata-se de um estudo que visa comparar uma mesma população escolhida, em quatro tempos distintos, avaliando o efeito causado pela intervenção. A avaliação consiste de análise objetiva, por meio do peak flow inspiratório, e subjetiva, o questionário OSA-18. Resultados: Total de 57 pacientes foram avaliados nesta pesquisa, sendo 35 (61%) do sexo masculino. A média encontrada para o PFI foi de 57,75 (DP=19,83) no pré-operatório e de 70,88 (DP=22,38) no pós-operatório (p<0,0001). Quanto ao OSA-18, o escore total no momento do pré operatório foi de 67,81 (DP=18,7), de 39,71 (DP=16,23), 24,32 (DP=10,22) e 30,03 (DP=12,37) nos tempos subsequentes, sendo tal diferença significante (p<0,05). Conclusão: A hipertrofia adenotonsilar relaciona-se a distúrbios emocionais e físicos, incluindo a Apneia Obstrutiva do Sono. O PFI e o OSA-18 demonstraram ser ferramentas factíveis e de baixo custo, capazes de mensurar o impacto sobre a vida dos pacientes assim como foi demonstrado em estudos anteriores que as analisaram, isoladamente. A cirurgia se mostrou significativamente eficaz em melhorar a patência nasal e a qualidade de vida nas crianças submetidas ao procedimento, especialmente nos momentos mais tardios da cirurgia.

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Apoio: ..............................................................................................................................................

    

Fundação São Paulo - Hospital universitário

 



 

Rev. Fac. Ciênc. Méd. Sorocaba, Sorocaba, SP, Brasil, e-ISSN 1984-4840

A Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.