A Língua Geral como código secreto de comunicação entre jesuítas

Ruth Montserrat, Cândida Barros

Resumo


O objetivo do trabalho é traduzir para o português e contextualizar historicamente um manuscrito na língua geral da Amazônia, que integra o fundo documental de papéis apreendidos do jesuíta alemão Anselm Eckart quando entrou na prisão de Almeida, em Portugal em 1759. O documento foi identificado como uma carta, porém não faz referência a lugares conhecidos nem revela o nome do destinatário ou do remetente. Os nomes de lugares foram citados de forma cifrada. A carta foi escrita em língua geral como código secreto entre jesuítas vindos da Amazônia quando presos no colégio de Braga. Seu conteúdo são acontecimentos imediatos ao dia 3 de novembro de 1759, como a retirada dos jesuítas do colégio de Braga e as dúvidas e temores sobre o destino dos membros da Companhia de Jesus.

Palavras-chave


Língua Geral; Jesuítas; carta; Pombal

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Revista Delta-Documentação e Estudos em Linguística Teórica e Aplicada ISSN 1678-460X