Acessibilidade e paralelismo na interpretação do pronome sujeito e o contraste pro/pronome em português

Letícia Maria Sicuro Corrêa

Resumo


O contraste pro/pronome em orações coordenadas em português é aqui explorado de modo a distinguirem-se os procedimentos através dos quais formas pronominais sujeito são interpretadas em diferentes contextos sintáticos e discursivos — através de estratégias de seleção de um antecedente lingüístico ou da recuperação "automática" de uma representação mantida particularmente ativada na memória de trabalho. Dois experimentos são relatados. O primeiro testa a hipótese de que o vínculo sintático entre a oração que contém a forma pronominal e a que contém seus possíveis antecedentes define condições de processamento que favorecem o uso de um ou de outro procedimento de interpretação. O segundo testa a hipótese de que o grau de ativação de uma dada representação na memória de trabalho (definido em relação a um sistema que opera em três níveis) afeta o modo como o sujeito pronominal de orações independentes é interpretado no discurso. Verifica-se que o contraste pro/ pronome pode ser re-estabelecido fora do âmbito de sentenças complexas uma vez que haja alteração local do foco da referência. A natureza deste contraste é discutida levando-se em conta as condições de processamento nas quais este se manifesta.


Palavras-chave


Interpretação de Formas Pronominais; Acessibilidade; Paralelismo; Processamento de Sentenças e do Discurso

Texto completo:

PDF


Revista Delta-Documentação e Estudos em Linguística Teórica e Aplicada ISSN 1678-460X